icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
15/04/2014
09:03

Um dos principais motivos para a não-realização de eventos-testes na Arena Corinthians ainda é a liberação do laudo “Auto de Vistoria” por parte do Corpo de Bombeiros. No entanto, a corporação responsável por analisar e dar garantias de segurança ao local garante que a liberação depende muito mais do Corinthians e da Odebrecht do que qualquer outra coisa.

Isso porque as correções do projeto já foram passadas para os responsáveis pela obra. O laudo é um dos documentos exigidos pela Prefeitura para ceder o “Habite-se“, necessário para funcionamento das instalações das edificações.

– O Corpo de Bombeiros está à disposição desde 2012 para fechar processos e avaliar com o corpo técnico para melhorar tudo, até nos processos construtivos. Mas a gente depende mais deles do que o contrário. A gente tem feito análises rápidas, mesmo com um mês de prazo que temos – afirma o capitão da corporação Marcos Palumbo.

Segundo ele, a análise do relatório entregue na última sexta-feira deve sair nos próximos dias. Ele ainda garante que, assim que os relatórios forem aprovados, os Bombeiros podem fazer a última vistoria já no dia seguinte à emissão.

– Não é um prédio simples. Tem detalhes em relação à lotação, como saídas de emergência e um plano de saída em oito minutos, conforme exige a legislação – diz.


Bate-Bola

Marcus Palumbo
Capitão do Corpo de Bombeiros, em entrevista ao LANCE!Net

Como está o andamento da liberação do “Auto de Vistoria“ para a Arena Corinthians?
Estão sendo feitas as análises por uma comissão especial. A gente quer dar celeridade e agilizar o processo. Que fique claro que não é uma exigência do Corpo de Bombeiros, mas sim da legislação. Mas não somos nós que temos de ir lá, são os interessados que trazem os documentos necessários. Já indicamos os melhores caminhos (para o Corinthians e para a Odebrecht), agora depende muito mais deles.

O que falta para a liberação do laudo? É normal essa demora?
Foram indicadas as não-conformidades. No último processo, não tinha a extração de fumaça, por exemplo. Mas são coisas normais de não ter neste momento. É uma obra complexa e que exige várias avaliações. Mas temos certeza de que apresentarão soluções satisfatórias e para emissão do laudo.

Hoje é possível haver um evento-teste para 20 mil pessoas lá?
Quando a gente fala a respeito de um “Auto de Vistoria“ é para a edificação toda. Não é para um evento ou coisa parecida. O laudo é relacionado ao quê o interessado usará o estádio. Não temos outra atribuição. Isso seria com a Prefeitura.