icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
03/07/2014
17:51

O The Ultimate Fighter Brasil 3 serviu para muitos brasileiros conhecerem melhor a personalidade de Chael Sonnen. Porém, após dois meses de convivência no reality show com o americano, ainda teve gente que buscou uma experiência ainda mais profunda ao lado do falastrão. Foi o caso de Guilherme Bomba. Eliminado na segunda fase do programa, o lutador pediu para treinar com Chael nos Estados Unidos e, depois de ter seu pedido atendido, foi recebido na casa do atleta e, de quebra, ainda recebeu a ajuda de Sonnen para assinar o contrato para estrear na organização no UFC 175, em Las Vegas, neste sábado.

Diante de tanta realização profissional, Guilherme Vasconcelos soma inúmeros motivos para defender a personalidade polêmica de Sonnen. Em entrevista ao LANCE!Net, o brasileiro detalha a aproximação entre os dois e elogia o americano.

- Nossa aproximação aconteceu mesmo diariamente, dentro do TUF, por ele ser o técnico da minha equipe. Gostei muito dele como treinador e vi que ele gostou do meu estilo de lutar. Acho que a amizade aconteceu assim. Logo que a gente se deu bem, disse a ele que tinha vontade de ir para os Estados Unidos treinar com ele. Ele disse que "claro" e pediu para eu entrar em contato após o TUF. Saí da casa, mandei um e-mail para ele e em um mês eu já estava treinando com ele na Califórnia e depois em Óregon, onde ele mora. Já tinha morado nos EUA por dois anos, na Califórnia mesmo. Comecei minha carreira lá. Posso dizer que o Sonnen é um grande amigo e fez muito por mim. Sou muito grato a ele. Podem acreditar, mas o Chael é um Bad Guy (Cara Mau) do bem (risos) - explicou Bomba, em conversa por telefone com o L!Net.

Sem as vitórias necessárias para garantir o contrato com o UFC durante sua participação no TUF Brasil 3, Guilherme viu a chance bater à sua porta ao assinar contrato para se apresentar no UFC 175, em confronto contra Luke Zachrich. O brasileiro confessa que Chael Sonnen o ajudou a entrar na maior organização de MMA do mundo.

- Não tenho dúvidas que isso aconteceu por causa dele. Acho que o Sonnen influenciou muito. Ele ligou para o Dana White e fez um pedido pessoal. Ganhei a chance, mas tenho certeza de que ele só fez isso por acreditar em mim. Se ele não confiasse no meu potencial, não teria o feito. Ganhei melhor luta da temporada no TUF. Não fui para a final e semifinal, mas tive o Chael que foi quem me ajudou - confessa.

Uriah Hall, Chael Sonnen e Bomba em treino nos Estados Unidos (FOTO: Reprodução)

Confira um bate-papo com Guilherme Bomba
O fato do Sonnen estar apostando em você te coloca uma pressão para vencer? 

Na verdade, não é uma presão, é uma motivação a mais. Isso me motiva e meus treinadores me motivam muito quanto a isso. Tudo o que faço é por esse caras. Quando eu estiver lá dentro, vou dar meu sangue.

O que você acha do jeito que o Chael promovia suas lutas?
Ele falava a verdade e fazer isso é uma responsabilidade muito grande. Isso incomoda as pessoas. Ele lutou com os maiores nomes do MMA. Mostrou para o mundo que não tem medo de ninguém. Quando se desafia alguém, você traz para si uma responsabilidade maior. Admiro isso. Aumenta a responsabilidade e envolve muito mais coisas na situação. Tem de ter muita coragem.

Guilherme foi eliminado do TUF ao perder na decisão para Ricardo Demente (FOTO: UFC)

O que os fãs podem esperar da sua luta?
Podem esperar que vou honrar o Brasil. Vou provar que estavam certos quando me colocaram no UFC. Vou andar para frente e buscar a finalização ou nocaute o tempo todo. Esperam muita porrada!