icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/12/2013
11:31

O Bom Senso Futebol Clube voltou a se manifestar e, assim como fez no caso envolvendo jogadores do Náutico, que ameaçaram não jogar a penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Vasco, até os direitos de imagem de parte do elenco serem quitados, apoiou a iniciativa dos atletas da Portuguesa, que se recusaram a treinar na última quarta-feira também por conta de vencimentos não pagos.

O movimento voltou destacar "a urgência de implementação do Fair Play Fiscal e Trabalhista" e afirmou dar "total apoio e suporte necessário" para o elenco rubro-verde. Uma greve ainda este ano, na última rodada do campeonato, está praticamente descartada, mas o grupo de jogadores criticou o "amadorismo" dos clubes e alertou para reivindicações mais agressivas caso soluções não sejam apresentadas por agremiações, CBF e governo.

O LANCE!Net apurou que o prostesto dos jogadores da Lusa foi motivado por atraso de salários, que já acumula dois meses. Os atletas já haviam ameaçado não concentrar pelo mesmo motivo, ainda em outubro. Segundo o próprio BSFC, as negociações entre atletas e diretoria da Portuguesa segue de maneira amigável.


Veja a íntegra da nota do BSFC.

O Bom Senso FC foi informado na noite desta quarta-feira dos atrasos de salário e dificuldades que os atletas da Associação Portuguesa de Desportos estão passando neste final de 2013. Assim como no caso envolvendo o Náutico, o movimento dá total apoio e suporte necessário para seus colegas de profissão. Em contato com jogadores do clube, foi repassado ao grupo que existe uma negociação para acerto dos valores pendentes de maneira amigável.

Por isso, usamos o bom senso, em decisão conjunta com os atletas da Portuguesa, e não cogitamos greve na última rodada do Campeonato Brasileiro, por sabermos de todas as disputas que envolvem este momento da competição.

Mesmo assim, deixamos um alerta ligado para o começo de 2014. Vários clubes da elite do futebol brasileiro estão vivendo as mesmas dificuldades dos já citados, o que continua demonstrando a urgência de implementação do Fair Play Fiscal e Trabalhista. A cada dia temos mais provas concretas dessa necessidade através de fatos, não de meras suposições.

Alertamos que, se nas principais divisões nacionais vemos situações desta gravidade, fica evidente que clubes de menor estrutura e com menos aporte financeiro estão ainda mais sujeitos a esse tipo de problemas. É extremamente preocupante que jogadores destas equipes, que vivem e necessitam da pequena renda que o futebol proporciona, corram risco total de não receberem valores do contrato firmado e não exista nenhuma fiscalização para garantir que isso ocorra.

Passou da hora de todas autoridades e entidades envolvidas no esporte, CBF e governo, solucionarem esta questão. Estamos prestes a ingressar em ano de Copa do Mundo e, ao invés de vermos mais profissionalismo e correção no futebol, presenciamos diariamente casos de puro amadorismo. Temos que dar um basta nisso.

Bom Senso Futebol Clube

Por um futebol melhor
para quem joga,
para quem torce,
para quem apita,
para quem transmite,
para quem patrocina.

Por um futebol melhor para todos.