icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
24/11/2014
18:53

A uma semana de se tornar o novo presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior revelou nesta segunda-feira que o planejamento para 2015 passará pela chance de vaga na Copa Libertadores. O futuro mandatário não descartou um investimento menor caso a equipe termine sua participação no Brasileirão fora do G4:

- A Libertadores tem um nível de exigência maior, e pede um grupo de maior qualidade. Caso a gente não consiga a vaga, vamos manter um grupo qualificado e suprir as deficiências do plantel com as categorias de base. Não tenho dúvidas de que o Grêmio terá um time competitivo para as disputas do Gauchão, Copa do Brasil e Brasileiro. E, se conseguirmos, também vamos formar um grande grupo para a Libertadores - afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

No dia seguinte à polêmica em torno da derrota do Grêmio para o Corinthians, Bolzan Júnior restringiu suas críticas ao comportamento do árbitro Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG):

- A derrota não passou pela arbitragem necessariamente. Mas às vezes, os comportamentos agressivos dos juízes, as intempestividades, são visíveis para todos nós. Às vezes, os estados emocionais resultam em reações como a crítica do Felipão - dissse, referindo-se à acusação do técnico quanto a uma suposta armação para decidir as vagas do G4 do Brasileiro.

O Grêmio voltará a campo no domingo, às 19h30, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova.