icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
05/06/2014
08:00

Após a eliminação na Libertadores deste ano, Bolívar foi informado de que não estaria mais nos planos do Botafogo. Um dia depois, porém, foi procurado pela diretoria para permanecer no clube. O que houve de fato? Em entrevista ao LANCE!Net, o zagueiro abriu o jogo sobre o que ocorreu na ocasião, falou sobre problemas da equipe na temporada e mostrou otimismo para o segundo semestre.

A quase saída do clube ainda é rodeada de incertezas, até pelo próprio jogador. Ele confirma que foi chamado pela diretoria para reunião sobre uma possível rescisão, mas que nunca soube o que chegou até a presidência para tal atitude.

– Fui chamado para uma conversa e informado não pelo presidente, mas que seria um recado do presidente (que estaria fora dos planos). Nunca soube ao certo como as coisas surgiram, nunca soube se foi realmente naquela proporção, se foi um mal-entendido. Hoje está tudo resolvido, tenho bom relacionamento com o presidente – garantiu Bolívar.

À época, notícias davam conta de que Assumpção teria ficado insatisfeito com Bolívar por ele possivelmente ser líder das manifestações do grupo contra os salários atrasados. E por isso havia decidido rescindir o contrato dele.

O zagueiro coloca uma pedra em qualquer polêmica e olha para frente. Após um início ruim na temporada, acredita que o time vai dar a volta por cima.

– Infelizmente as coisas não saíram como esperávamos na Libertadores e tivemos um mau início no Brasileiro. Essa parada foi boa e ruim. Por um lado, fizemos dois bons jogos e poderíamos engrenar. Mas agora teremos tempo para acertar as coisas e descansar após essa maratona – disse o defensor.

Veja a entrevista completa abaixo:

Neste ano o time fez protestos, mas depois deu um voto de confiança à diretoria. A diretoria tem falado com vocês sobre essa questão de salários atrasados?
Estamos conversando a todo momento, mesmo nas férias. Eles nos mantêm informados e acreditamos que vai ter uma melhoria.

Quando surgiu a notícia da sua saída do clube, o grupo pediu pela permanência. Como viu isso?
Foi muito legal. Sempre procurei ter um bom relacionamento com as pessoas na vida e na profissão. Sempre tive caráter e dignidade.

E pensa em ficar no clube?
Sempre falei que tenho carinho muito grande pelo Botafogo. Minha família está adaptada e o ambiente no clube é muito bom. Teve aquela situação, mas foi um mal-entendido. É claro que quero permanecer.

Como tem sido o trabalho com Vagner Mancini?
Muito bom. É um cara que antes de chegar a gente tinha ouvido coisas boas dele. Ele tem conseguido unir o grupo, passar tudo o que está querendo. É uma relação legal, está sempre conversando e confiamos que tudo vai melhorar.

O Botafogo fez dois bons jogos nas duas últimas rodadas. Isso deixa o grupo otimista de que o segundo semestre será melhor?
A gente conseguiu fazer duas grandes partidas, de qualidade. Acredito que teremos melhoras, uma maior regularidade. Deveremos ter a chegada de reforços, como já foi pedido e falado pelo Mancini.