icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
08/12/2013
07:11

Reza. Fé. Crença. Força de vontade e torcida para que nada dê errado. Nada mesmo pode falhar. O Fluminense tem neste domingo, talvez, o dia mais importante de sua história. Uma história escrita com títulos e que pode ser manchada com um vexame que marcará para sempre o clube. Se algo der errado, o Tricolor se torna o primeiro campeão brasileiro a ser rebaixado no ano seguinte a conquista.

E é na terra de todos os santos, que o Flu precisa se apegar a fé e a paixão de seu torcedor. Hoje, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, às 17h, com transmissão em tempo real do LANCE!Net, que o Tricolor busca um salvador. E logo na cidade que leva o nome do que os tricolores mais precisam. Porém, é preciso de um salvador na Fonte Nova. Um em Joinville, que impeça que o Vasco vença e outro em Itu, que atrapalhe os planos do Coritiba. Tudo isto combinado, livram o Fluminense de um histórico vexame.

E logo este time. Que saiu de um iminente rebaixado e foi denominado de Time de Guerreiros. Logo este Fluminense que em três anos conquistou dois brasileiros. Um dos candidatos a salvador tricolor, não poderia ser outro. É o zagueiro Gum. Que passou por quase tudo nestes quatro anos de Flu.

- Nossa vida em 2014 está em jogo. Precisamos livrar o Fluminense disso e sabemos que somos capazes. Vamos buscar fazer a nossa parte e esperar - afirmou.

E o zagueiro tem marcado gols importantes e decisivos. O Flu precisa se salvar. Precisa de um Salvador. Um candidato já está aí. E ainda existem outros. Tanto faz. O que importa é não cair.

Torcida do Fluminense conta com a fé e com a força das fitinhas da Igreja de Senhor do Bonfim (Foto: Cleber Mendes)


TIME JÁ SE SUPEROU OUTRAS VEZES

Mais do que nunca, o Fluminense terá de se superar para se livrar do quarto rebaixamento da história do clube. Mas superação é uma palavra conhecida por muitos jogadores desse elenco. Nomes como Gum, Fred, Digão, Diguinho participaram da salvação do time em 2009, ano em que os matemáticos afirmaram que o Tricolor tinha 99% de chances de ser rebaixado para a Segunda Divisão.

Em 2010, mesmo sem Fred durante boa parte do Brasileirão, o time conseguiu o título liderado pelo argentino Darío Conca.
No ano seguinte, Muricy saiu pela porta dos fundos e Enderson Moreira assumiu a equipe até a Libertadores. Na última rodada fase de grupos, o time precisava vencer o Argentino Juniors fora de casa por dois gols de diferença e torcer por uma derrota do América do México. Após uma guerra durante e após o jogos, o time conseguiu.

Ainda em 2011, após um primeiro turno irregular, o Flu reagiu e terminou classificado para a Libertadores. No ano passado, com Cavalieri e Fred inspirados e resultados apertados, a equipe conquistou mais um título brasileiro.

VENCER E SECAR OS RIVAIS

Após o empate contra o Atlético-MG e os resultados da última rodada, o Fluminense passou a não depender somente de si para não ser rebaixado para a Segunda Divisão. Além de vencer o Bahia, na Arena Fonte Nova, o Tricolor carioca precisa ficar de olho nos jogos de Vasco e Coritiba, rivais direto na luta contra o descenso. Para isso, o Cruz-Maltino e o Alviverde do Paraná não podem triunfar sobre Atlético-PR, em Joinville, e São Paulo, em Itu, respectivamente.

Conta a favor do Flu, o fato do Rubro-Negro paranaense ainda brigar por uma vaga no G4 e precisar ao menos de um empate para se garantir sem depender dos demais. Já o Tricolor paulista está no páreo pelo título simbólico de campeão do segundo turno do Brasileirão.