icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/07/2013
12:34

Após a Seleção Brasileira de vôlei realizar o primeiro treino no Maracanãzinho na manhã desta quinta-feira, o técnico Bernardinho analisou o momento do Brasil, especialmente o do ponta Lucarelli, que vem sendo muito elogiado em seus primeiros passos na Seleção.

Para o treinador, a pressão em cima de Lucarelli só aumentará depois dos elogios recebidos. Apesar de tudo, ele ainda precisa melhorar de acordo com Bernardinho.

- Ele precisa se manter tranquilo com essa pressão. Mas ele tem uma cabeça boa. Há dois anos atrás no Mundial Juvenil ele não foi bem e isso pesou um pouco. Mas mantemos o trabalho com ele, confiamos no potencial grande que ele tem e está dando resultado. Ele controla bem as bolas altas e pode evoluir no passe e principalmente no bloqueio - disse o comandante da Seleção.

Bernardinho ainda aproveitou para analisar a transição da Seleção Brasileira. Alguns jovens jogadores como Maurício Souza, Renan e Lucarelli já foram integrados à nova geração do Brasil - o primeiro foi bem no último jogo contra a Bulgária e marcou cinco pontos somente de bloqueios. Mas o técnico não quer saber de revolução:

- Nenhuma renovação pode ser uma revolução. Temos uma mescla de muitos jovens com alguns veteranos. A transição não pode ser feita do nada, precisa ser gradual. Será como foi quando Maurício, Giovane e Nalbert deixaram a seleção aos poucos e conseguimos substituir com Murilo, Dante, que assumiu uma posição importante, por exemplo.   

Com o ambiente tranquilo por conta da classificação antecipada, o Brasil enfrenta os Estados Unidos neste sábado e domingo, no ginásio Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Os ingressos para os duelos já foram esgotados. 

Após a Seleção Brasileira de vôlei realizar o primeiro treino no Maracanãzinho na manhã desta quinta-feira, o técnico Bernardinho analisou o momento do Brasil, especialmente o do ponta Lucarelli, que vem sendo muito elogiado em seus primeiros passos na Seleção.

Para o treinador, a pressão em cima de Lucarelli só aumentará depois dos elogios recebidos. Apesar de tudo, ele ainda precisa melhorar de acordo com Bernardinho.

- Ele precisa se manter tranquilo com essa pressão. Mas ele tem uma cabeça boa. Há dois anos atrás no Mundial Juvenil ele não foi bem e isso pesou um pouco. Mas mantemos o trabalho com ele, confiamos no potencial grande que ele tem e está dando resultado. Ele controla bem as bolas altas e pode evoluir no passe e principalmente no bloqueio - disse o comandante da Seleção.

Bernardinho ainda aproveitou para analisar a transição da Seleção Brasileira. Alguns jovens jogadores como Maurício Souza, Renan e Lucarelli já foram integrados à nova geração do Brasil - o primeiro foi bem no último jogo contra a Bulgária e marcou cinco pontos somente de bloqueios. Mas o técnico não quer saber de revolução:

- Nenhuma renovação pode ser uma revolução. Temos uma mescla de muitos jovens com alguns veteranos. A transição não pode ser feita do nada, precisa ser gradual. Será como foi quando Maurício, Giovane e Nalbert deixaram a seleção aos poucos e conseguimos substituir com Murilo, Dante, que assumiu uma posição importante, por exemplo.   

Com o ambiente tranquilo por conta da classificação antecipada, o Brasil enfrenta os Estados Unidos neste sábado e domingo, no ginásio Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Os ingressos para os duelos já foram esgotados.