icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/07/2013
15:59

Renovação, transição, juventude... Essas são algumas das palavras de ordem da Seleção Brasileira de vôlei. É por esse motivo que nem mesmo grandes nomes da modalidade, como o veterano Giba, têm passado perto da pauta do técnico Bernardinho.

Após a vitória sobre os Estados Unidos por 3 a 1 neste sábado, pela Liga Mundial, o comandante disse que o ponteiro já demonstrou vontade de voltar a vestir as cores do Brasil. No entanto, ele destacou a questão física como o grande impedimento, lembrando que esse foi um ponto fraco da Seleção em 2012.

- Às vezes os jogadores querem, mas o corpo já não responde mais. Ontem eu encontrei o Giba, que eu não via há muito tempo, e ele mostrou vontade de voltar. Mas a gente sabe que, por mais fantástico que ele seja, tem uma hora que não dá mais para suportar - afirmou.

Após o encerramento frustrante do último ciclo olímpico, que terminou com derrota dos brasileiros para a Rússia na final dos Jogos de Londres, Bernardinho parece mesmo convencido de que o momento agora é de lapidar novos talentos.

- Temos que encontrar outras peças que possam somar a essa equipe. Só assim podemos voltar a ser competitivos - completou o treinador.

Renovação, transição, juventude... Essas são algumas das palavras de ordem da Seleção Brasileira de vôlei. É por esse motivo que nem mesmo grandes nomes da modalidade, como o veterano Giba, têm passado perto da pauta do técnico Bernardinho.

Após a vitória sobre os Estados Unidos por 3 a 1 neste sábado, pela Liga Mundial, o comandante disse que o ponteiro já demonstrou vontade de voltar a vestir as cores do Brasil. No entanto, ele destacou a questão física como o grande impedimento, lembrando que esse foi um ponto fraco da Seleção em 2012.

- Às vezes os jogadores querem, mas o corpo já não responde mais. Ontem eu encontrei o Giba, que eu não via há muito tempo, e ele mostrou vontade de voltar. Mas a gente sabe que, por mais fantástico que ele seja, tem uma hora que não dá mais para suportar - afirmou.

Após o encerramento frustrante do último ciclo olímpico, que terminou com derrota dos brasileiros para a Rússia na final dos Jogos de Londres, Bernardinho parece mesmo convencido de que o momento agora é de lapidar novos talentos.

- Temos que encontrar outras peças que possam somar a essa equipe. Só assim podemos voltar a ser competitivos - completou o treinador.