icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/03/2014
18:28

Diante da insegurança na Ucrânia desde meados de fevereiro e a explosão de violência no país, que culminou com a queda do presidente Viktor Yanukovich, o meia Bernard, do Shakhtar Donetsk, já tem um planejamento para fugir do país caso o nível de violência aumente ainda mais.

- Tomamos as providências necessárias. Temos passagem para deixar o país se for preciso e deixamos o nosso nome na embaixada, caso seja necessário deixar o país de forma urgente. A gente não sabe o que esperar - explicou o meia, ao chegar a Johanesburgo, na África do Sul, onde a Seleção Brasileira enfrenta a equipe local, em amistoso nesta quarta-feira.

A preocupação de Bernard cresceu porque as cenas de violência deixaram de ser exclusividade da capital Kiev.

- É complicado, a situação está um pouco tensa por lá. A violência até agora estava longe, mas os manifestantes já partiram para lá (Donetsk) - completou o jogador.

Bernard, que mora na Ucrânia com o pai e um primo, é um dos xodós de Felipão desde a Copa das Confederações. A tensão aumenta diante do avanço das tropas russas no território ucraniano.