icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2013
14:28

Assim como alguns jogadores do atual elenco do Atlético-MG, Bernard viveu o pior momento da Era-Kalil e aproveita o auge da administração do presidente no Galo. E, para a final da Libertadores diante do Olimpia, o camisa 11 lembrou da pressão vivida no Brasileirão de 2011 para conviver com a expectativa da decisão desta quarta-feira.

- Viver uma pressão que eu vivi em 2011, de você ter de sair do rebaixamento, é uma pressão pior do que você ter de reverter resultado de 2 a 0 na final da Libertadores, você viveu quase tendo que fazer 100% de aproveitamento, fazer 12 jogos e vencer sete ou oito - comentou o jogador.

Bernard pode fazer sua despedida com o título inédito da Copa Libertadores, isso depois de viver o inferno dos 6 a 1 contra o Cruzeiro, conquistar dois títulos mineiros e da Copa das Confederações.

MAIS:
> Ronaldinho pode ser o sétimo a conquistar Libertadores e UCL
> Galo terá missão velha de reverter desvantagem da primeira final

Assim como alguns jogadores do atual elenco do Atlético-MG, Bernard viveu o pior momento da Era-Kalil e aproveita o auge da administração do presidente no Galo. E, para a final da Libertadores diante do Olimpia, o camisa 11 lembrou da pressão vivida no Brasileirão de 2011 para conviver com a expectativa da decisão desta quarta-feira.

- Viver uma pressão que eu vivi em 2011, de você ter de sair do rebaixamento, é uma pressão pior do que você ter de reverter resultado de 2 a 0 na final da Libertadores, você viveu quase tendo que fazer 100% de aproveitamento, fazer 12 jogos e vencer sete ou oito - comentou o jogador.

Bernard pode fazer sua despedida com o título inédito da Copa Libertadores, isso depois de viver o inferno dos 6 a 1 contra o Cruzeiro, conquistar dois títulos mineiros e da Copa das Confederações.

MAIS:
> Ronaldinho pode ser o sétimo a conquistar Libertadores e UCL
> Galo terá missão velha de reverter desvantagem da primeira final