icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
02/02/2015
15:25

O goleiro Ricardo Berna, do Macaé, agredido no último sábado por uma facção organizada que se assume como de torcedores do Flamengo, não esconde seu descontentamento com o presidente do Rubro-Negro Eduardo Bandeira de Mello, pelo posicionamento deste quanto ao caso. Berna foi agredido dentro do vestiário de seu time no Estádio Moacyrzão, momentos antes de as equipes entrarem em campo pela primeira rodada do Campeonato Carioca,

- Fiquei chateado ao ler a declaração do presidente (Eduardo Bandeira), quando foi informado do ocorrido comigo. Fiquei incomodado. Ele achou estranho. Queria que ele achasse estranho se fosse com um jogador do time dele. Achou o quê? Que eu fiz um corte no pescoço? Fica a minha palavra contra a dele. O presidente do Flamengo duvidou da minha palavra ou o foco dele é outro, falando de preço de ingresso e deixando de lado o que os torcedores do Flamengo, ao quais a ele respondem, fizeram. Sinceramente, o "poste está mijando no cachorro". Daqui a pouco vão colocar robôs para jogar futebol no lugar de pessoas - disse Berna à ESPN Brasil, na tarde desta segunda-feira.

Aos 35 anos, Ricardo Berna teve maior destaque na carreira atuando pelo Fluminense, onde conquistou dois título do Campeonato Brasileiro. Depois de um período no Náutico, ficou sem jogar em 2014, retornando no Macaé, neste ano. A partida contra o Flamengo, que terminou empatada em 1 a 1, marcou a volta de Berna aos campos. O que era para ser festa se transformou em frustração. O jogador, emocionado, não escondeu sua tristeza, pedindo punição aos responsáveis.

- Fiquei um ano parado e estava muito alegre para minha estreia. Era um recomeço. Nunca estive tão feliz e me confrontei com uma situação como essa. Torcedores invadindo... Tem de ter punição. Acho lamentável que um clube pague por baderna de seus torcedores. Mas a punição tem de ocorrer. Que não fique só no esporte. Tem de haver uma mobilização antes que aconteça algo pior. O que falar do que ocorreu na Federação? Não é estranho os cavalheiros no arbitral não deem um exemplo? - questionou Berna, afirmando que irá prestar queixa na Delegacia de Macaé pelas agressões que sofreu.

Com o Estadual tumultuado pela briga entre Flamengo, Fluminense e Federação devido ao tabelamento de preços dos ingressos para o campeonato, Berna afirmou não estar preocupado se os problemas colaboraram para a invasão do vestiário. Porém, cobrou uma reestruturação do futebol brasileiro.

- Não tenho nada a ver com política. Se estou sentado (concedendo a entrevista) aqui é porque, revoltado, eu usei as emissoras de TV e falei com as pessoas o que estavam assistindo. É para se questionar a política que vem sendo praticada. Quem faz a merda já não sente mais o cheiro. Vamos parar de tapar buraco e fazer uma estrutura sólida para acabar com esse tipo de coisa e fazer um mundo melhor.