icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
19/03/2014
07:02

O termo "clutch" é usado no basquete para definir o jogador frio e habilidoso capaz de resolver os jogos nos momentos mais difíceis com um lance de precisão. No futebol, o adjetivo se encaixa perfeitamente ao meia Mendieta. Dos seis gols marcados pelo paraguaio com a camisa do Palmeiras, cinco foram cruciais em empates ou vitórias. Em 2014, ele já garantiu o 1 a 1 com o Osasco Audax e os 3 a 2 diante da Ponte Preta.

- Quando entro, tento demonstrar que posso ser titular. Sei a responsabilidade que carrego e tento fazer bem as coisas. Tenho frieza e tento me manter assim mesmo com o jogo mais quente, sou mais calmo - disse o jogador, em entrevista ao LANCE!Net.

Apesar de não conhecer o termo "clutch" e de mostrar pouca desenvoltura para controlar a bola com a mão, Mendieta é fã de basquete e tem até uma fonte de inspiração: o ala-armador argentino Manu Ginobili, tricampeão da NBA, liga americana de basquete, e destaque do ouro olímpico de sua seleção em 2004. Um exemplo de jogador decisivo e ídolo do San Antonio Spurs, time do qual o paraguaio diz ser um admirador.

- Ginobili para mim é como o Riquelme no futebol. Muitas vezes ele coloca a bola embaixo das pernas do adversário, tem bastante imagem disso. É um jogador fantástico - disse, sem esconder a idolatria por Juan Román Riquelme, do Boca Juniors, outro craque nascido na Argentina.

Elogiado por Kleina, Mendieta não tem sido só o reserva mais decisivo. Ele é também o mais utilizado, mas não se satisfaz com a fama de quem entra para decidir. A ideia é ser um "clutch" titular, e a difícil disputa será com Valdivia e Bruno César.

- O jogador tem que estar acostumado a ser titular, não a ficar sempre na reserva. Desde que cheguei, digo que vim para jogar. Sei que tenho de trabalhar duro para ficar na equipe. Agora tenho uma sequência, quero manter o ritmo, e quando puder jogar de titular ir bem - completou o camisa 8, que já driblou o seu maior adversário no futebol brasileiro.

O português, embora longe da perfeição, já está mais afiado. Agora ele se dedica até a ensinar o chamado "portunhol" aos colegas brasileiros.

- Alguns entram no meio quando falamos espanhol, porque gostam, querem aprender. O Leandro e o Vinicius sempre vêm para escutar.

E estão conseguindo aprender?

- É... Complicado (risos).

Mendieta abraça Valdivia, que o ajudou na adaptação (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

RELEMBRE OS GOLS DE MENDIETA EM SEUS 30 JOGOS PELO VERDÃO:

Joinville 0 x1 Palmeiras
13/8/2013 - O primeiro gol do paraguaio pelo Palmeiras foi de joelho, e garantiu a vitória em Joinville. Após marcar, ele sentiu lesão e foi substituído.

Palmeiras 3x2 Paysandu
17/8/2013 - Em jogo marcado por confusão generalizada, Mendieta empatou o jogo com um golaço quando o Papão vencia por 2 a 1. Foi titular.

Avaí 2x4 Palmeiras
17/9/2013 - Titular ao lado de Valdivia, deixou sua marca quando o Palmeiras perdia por 2 a 1. Time engrenou depois disso e construiu a vitória.

Palmeiras 4x0 Figueirense
8/10/2013 - Foi o único gol que não decidiu uma vitória ou um empate. De pênalti, marcou o segundo da vitória. Neste dia, começou como titular do time.

Palmeiras 1x1 Audax
9/2/2014 - Time cansou de perder gols no primeiro tempo e saiu em desvantagem logo no início do segundo. Mendieta entrou e garantiu o empate.

Palmeiras 3x2 Ponte Preta
15/3/2014 - Palmeiras saiu perdendo, virou e levou o empate logo na sequência. Mendieta saiu do banco e marcou o terceiro gol do time.

VEJA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM MENDIETA:

Você gosta de basquete? Sabia que o termo "clutch" é usado para jogadores frios e decisivos?
Na verdade, eu gosto de olhar, assistir. Mas para jogar... Sou fraco, muito fraco (risos). E também não conhecia esse termo ainda.

Mas costuma acompanhar?
Quando eu jogava no Libertad (PAR), nós íamos ver os jogos de basquete quando estávamos concentrados. Gosto de jogadores da NBA, como Ginobili e Tony Parker. Torço para o San Antonio pelo Ginobili, sempre estou assistindo.

Mas você acha que pode ser este tipo de jogador decisivo?
Eu sempre estou pronto para ajudar. O técnico decidiu que eu fique na reserva, pude entrar e fazer gol no último jogo, mas o importante é que todo mundo está ajudando o time.

Acompanha o time de basquete do Palmeiras também?
Não acompanho, mas já ouvi falar bastante que o Palmeiras tem um time e que a torcida acompanha muito. Desejo muita sorte a eles.

Você sofreu para se adaptar ao Brasil. Já conseguiu resolver?
Já consigo me comunicar com todos. Falo devagar porque tem coisas que não consigo falar em português, mas compreendo tudo. Os companheiros me ajudaram bastante. Faz quase um ano que estou aqui e já melhorei bastante.

Ter Valdivia, Eguren e Victorino no elenco te ajuda também?
Ficou mais fácil. Quando cheguei só estava o Valdivia, e ele me ajudou. Agora temos Victorino e Eguren, sempre estamos juntos porque falamos espanhol.