icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
11/07/2013
19:32

A diretoria do Macaé se pronunciou após a confusão entre os jogadores na partida contra o Flamengo, na última quarta-feira, na Gávea, pelo Campeonato Carioca de Basquete. Segundo os dirigentes, o atrito poderia ter sido evitada caso a arbitragem tivesse sido mais severa. Além disso, eles fizeram questão de defender o pivô Atílio.

– Não estou culpando arbitragem. Mas se ela tivesse tomado uma atitude antes, poderia não ter acontecido o que ocorreu. A gente lamenta o ocorrido. Mais ainda as declarações do Flamengo. A gente conhece o histórico do Atílio e nunca vimos ele envolvido em algo parecido. É lamentável – disse coordenador Rodrigo Stefanelli ao LANCE!Net.

– O ocorrido não faz parte do esporte, mas não precisaria ir adiante. A arbitragem deixou jogo correr. Nessa troca de empurrões, o atleta do Flamengo deu algumas coteveladas. Quando ele perdeu o dente, Atílio tentou se desvencilhar. Não há chance de ter dado um soco – completou o dirigente.

O Macaé acredita que houve exagero em registar ocorrência na polícia contra Atílio e espera que esse caso não seja levado em frente.

Na última quarta-feira, o jogo entre Flamengo e Macaé foi interrompindo no segundo quarto por causa de uma confusão entre atletas das duas equipes. Atílio, do Macaé, até teria acertado um soco em Douglas Correa, do Rubro-Negro. O flamenguista até ficou desacordado e teve de ir para o hospital.

O pivô do Fla ainda prestou queixa contra o adversário no 14º Distrito Policial, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro.

A diretoria do Macaé se pronunciou após a confusão entre os jogadores na partida contra o Flamengo, na última quarta-feira, na Gávea, pelo Campeonato Carioca de Basquete. Segundo os dirigentes, o atrito poderia ter sido evitada caso a arbitragem tivesse sido mais severa. Além disso, eles fizeram questão de defender o pivô Atílio.

– Não estou culpando arbitragem. Mas se ela tivesse tomado uma atitude antes, poderia não ter acontecido o que ocorreu. A gente lamenta o ocorrido. Mais ainda as declarações do Flamengo. A gente conhece o histórico do Atílio e nunca vimos ele envolvido em algo parecido. É lamentável – disse coordenador Rodrigo Stefanelli ao LANCE!Net.

– O ocorrido não faz parte do esporte, mas não precisaria ir adiante. A arbitragem deixou jogo correr. Nessa troca de empurrões, o atleta do Flamengo deu algumas coteveladas. Quando ele perdeu o dente, Atílio tentou se desvencilhar. Não há chance de ter dado um soco – completou o dirigente.

O Macaé acredita que houve exagero em registar ocorrência na polícia contra Atílio e espera que esse caso não seja levado em frente.

Na última quarta-feira, o jogo entre Flamengo e Macaé foi interrompindo no segundo quarto por causa de uma confusão entre atletas das duas equipes. Atílio, do Macaé, até teria acertado um soco em Douglas Correa, do Rubro-Negro. O flamenguista até ficou desacordado e teve de ir para o hospital.

O pivô do Fla ainda prestou queixa contra o adversário no 14º Distrito Policial, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro.