icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
17/06/2014
20:19

Depois de sentir um incômodo na coxa esquerda durante treino na Seleção Brasileira, Hulk ficou no banco durante todo o empate por 0 a 0 com o México, nesta terça-feira, em Fortaleza (CE). Titular na estreia, o atacante afirmou que estava bem e que não jogou por uma decisão do técnico Luiz Felipe Scolari. O chefe do departamento médico da Seleção, José Luiz Runco, confirmou a liberação do camisa 7.

- Eu senti um incômodo, saí do treino, mas cheguei hoje (terça-feira) pronto para jogar. Foi opção do professor, temos de aceitar. Eu queria jogar. Mas não fiquei chateado, o treinador achou melhor preservar, opção dele, eu respeito - falou Hulk, na saída do Castelão, reforçando (duas vezes) que não se incomodou pela decisão, mas demonstrando irritação com a insistência nas perguntas sobre se havia ficado chateado por ter sido preterido.

- Não é lesão. É opção do treinador. Eu passei que o Hulk não tinha nada e que poderia usá-lo - reforçou Runco.

Durante a entrevista coletiva, Felipão falou que preferiu utilizar Ramires na vaga do atacante, que chegou a realizar uma ressonância magnética, que não apontou lesão. Segundo o treinador, Hulk voltará a jogar na segunda, diante de Camarões, na última partida da Seleção na primeira, caso sinta-se "melhor mentalmente".

Elas de olho nele! Torcedoras lamentam ausência do galã Hulk

- Ele tinha condições de jogar, fiz uma opção pelo Ramires. O Hulk vai trabalhar durante a semana e se sentir-se melhor mentalmente, já que a dor é mínima, normal pra qualquer jogador, vai jogar - avisou Scolari.