icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2014
22:38

A situação chamou a atenção. Eram 24 minutos do segundo tempo quando o quarto árbitro Luís Teixeira Rocha levantou a placa com o número 9 em vermelho. Barcos seria o escolhido de Enderson Moreira para deixar o time do Grêmio no empate com o Goiás. A Arena caiu em vaias para o centroavante, que respondeu com aplausos e beijo no escudo da camiseta.

Após o gesto, Barcos recebeu apoio do torcedor, com alguns aplausos. A explicação do Pirata foi a de agradecer a presença dos 26 mil gremistas que estiveram na Arena na noite desta quarta-feira.

- Tem muita gente que não acredita, mas tem muita que acredita. Aplaudo a todo mundo, por vibrar como vibram com o Grêmio. Se eu tenho um mau momento, acho que não joguei os 75 minutos mal, mas criticam, o que é normal, porque tem pouca paciência. Aplaudo e agradeço ao torcedor que sempre vem. Não é fácil manter a calma, mas precisamos seguir em frente. Temos que ter sabedoria - disse Barcos.



E MAIS:
> Grêmio chega ao quarto jogo sem marcar e empata com Goiás
> Giuliano se frustra com estreia no Grêmio, mas vê atuação 'razoável'
> Enderson minimiza falta de gols com produção do Grêmio, mas vê 'ansiedade'

O argentino afirmou que não é só sua culpa que o clube gaúcho não marca gols há quatro jogos no Brasileirão. O Pirata é o artilheiro do ano no Tricolor, com 17 gols marcados - dois deles no Brasileirão - mas convive com as cobranças dos gremistas.

- A responsabilidade é de todos. Temos que caprichar mais. Falta o último toque. Acho que é de todo mundo, o Grêmio é um time. Tive uma ou outra chance, mas isto não vem ao caso. Temos que melhorar todos nós, a culpa não é só minha ou de outro que não ganhamos. Errei um gol, certo, mas acontece para todos. O torcedor do Grêmio está impaciente. Faz muito tempo que o clube não ganha nada e a impaciência é normal - completou o camisa 9 gremista.