icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2014
12:43

O nome de Felipão voltou aos bastidores do Grêmio com força. O presidente Fábio Koff viajou para São Paulo para negociar com o ex-técnico da Seleção Brasileira. O centroavante Hernán Barcos, autor dos dois gols na derrota para o Coritiba, que vitimou Enderson Moreira, concedeu entrevista coletiva e valorizou a confiança que Felipão passava para ele quando ambos estiveram juntos no Palmeiras. Evitou falar sobre a possiblidade de Scolari assumir o Tricolor e disse que quem precisa melhorar são os jogadores.

Koff viajou para a capital paulista na manhã desta terça-feira. A ideia inicial de Felipão era não trabalhar até o final do ano, até por conta de compromissos familiares. Mas o chamado do amigo pode demovê-lo da ideia. Na passagem do treinador pelo Palmeiras, em 2012, o centroavante atingiu a meta proposta de 28 gols, boa parte deles sob o comando de Scolari. Ambos foram campeões da Copa do Brasil daquele ano, eliminando o Tricolor na semifinal.



- Na verdade não sabia que o presidente estava lá (São Paulo). Sobre o Felipão, tenho muitas coisas bas para falar. Mas até que seja o treinador, não posso falar sobre isso. Mas tenho tudo de bom para falar - disse Barcos.

- A confiança que ele trasmite é fundamental, e a experiência que ele tem - completou o argentino, após ser questionado sobre o que foi determinante para seu sucesso no Palmeiras.




Barcos foi um dos únicos jogadores a se manifestarem após a derrota para o Coxa na Arena. Passou pela zona mista e defendeu Enderson Moreira, que estava em reunião com os dirigentes. Dois dias após a derrota, voltou a fazer elogios ao ex-técnico - soube de sua demissão chegando em casa.

- Sobretudo o que tem que mudar é a gente mesmo. O treinador pode vir um ou outro, mas nós temos que melhorar em campo. Treinador não joga. Temos que pensar em mudar. Independente de quem venha, 70% ou 80% das coisas podemos mudar a gente. Por momentos dentro do jogo, cometemos erros ou não sabemos administrar o resultado, por ansiedade, por alguma coisa. Para ser campeão não podemos cometer esse tipo de erro, e é todo mundo que tem que melhorar. É um trabalho que temos que fazer em equipe, temos que ter consciência disso - discorreu o Pirata.