icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
24/06/2014
19:21

A presença da Argentina movimentou a cidade de Porto Alegre. Não só fora do aspecto futebolístico. Os clubes também. Depois do apoio a D'Alessandro no treino do Internacional, o mesmo, mas com menos argentinos, aconteceu no treino do Grêmio. Além disso, o capitão Barcos irá na concentração da Argentina para desejar sorte aos colegas que jogam contra a Nigéria, nesta quarta-feira, às 13h, no Beira-Rio.

O Pirata participou da campanha da Albiceleste nas Eliminatórias. Ele foi convocado por Alejandro Sabella para alguns jogos. Por isso, conhece a maioria dos jogadores do elenco. E vai encontrar os jogdores nesta terça-feira.

- É lindo ver muitos argentinos aqui no Brasil apoiando a seleção. Tomara que dê certo, até agora está dando, estamos ganhando. É uma loucura, o argentino tem muita paixão e sente muito a seleção. Vou para o hotel cumprimentar o grupo, os companheiros, para tentar dar sorte. Eu também fui parte deste grande grupo - destacou o camisa 9 do Grêmio, que durante um tempo nutriu esperanças de disputar a Copa do Mundo.

A rotina no Grêmio, no entanto, vai complicar o Pirata. O Tricolor treina às 15h30 nesta quarta-feira. E provavelmente o argentino vai deixar a família em sua casa durante a partida. O centroavante recebe toda sua família no período e tem a casa "lotada".

Sem fugir da tradicional pergunta, Barcos afirma que Pelé, Maradona e agora Messi são os melhores de seus tempos. E espera um encontro na final do Mundial, para um novo Maracanazo.

- Acho que as duas seleções são grandes potências e favoritas na Copa do Mundo. Tomara que se encontrem na final, Argentina e Brasil. Sim, Maracanazo. Seria muito lindo - sorriu o Pirata.