icons.title signature.placeholder Renato Homem
13/04/2014
09:09

A renovação do vínculo de Lionel Messi com o Barcelona criou uma situação no mínimo inusitada. Mergulhado numa crise, que parece se agravar a cada dia após a inesperda eliminação da Uefa Champions League imposta pelo Atlético de Madrid e ainda pela derrota de sábado diante do Granada, pelo Campeonato Espanhol, o clube belgrano planeja atender às pretensões salariais de sua maior estrela, mas em contrapartida quer que o jogador argentino renuncie a um acordo de patrocínio pessoal, para que possa, ao menos, atender em parte às pretensões salariais exigidas pelo craque.

A diretoria do clube belgrano estaria disposta a oferecer a Messi valores que se aproximam daquilo que o atleta exigira por ocasião do início das negociações da renovação do vínculo com o Barça. Um detalhe, porém, vem atrasando o acordo. Messi tem um contrato milionário com uma empresa áerea turca (Turkish Airlines), ao passo que o Barcelona tem como patrocinador máster a poderosa Qatar Airways.

A direção do clube está esperançosa de poder se reunir com o pai do jogador (Jorge Messi), responsável pela condução das negociações. em no máximo duas ou três semanas. Os dirigentes deverão reiterar, em caráter oficial, pedido para que Messi abdique do acordo de patrocínio que mantém com a empresa turca, não renovando seu vínculo em 2015.

Os dirigentes afirmam que o conflito de interesses tem causado sérios problemas e desconforto com os executivos da Catar Airways. Os árabes argumentam que não desejam injetar dinheiro num clube, cuja maior estrela posa para fotos para promover uma companhia concorrente.

Em meio ao clima adverso por conta da eliminação inesperada da Champions, a diretoria do Barcelona já adiantou que deseja melhorar a oferta feita à sua maior estrela. O clube, inclusive, teria acenado com a oferta de abrir mão do percentual relativo aos direitos de publicidade sobre os contratos firmados por Messi. De acordo com o jornal espanhol Marca, além do aumento salarial, Messi teria seu vínculo prorrogado com o clube catalão até 2019, num contrato de longo prazo, conforme sempre foi o desejo do jogador.