icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
08/04/2014
17:16

Com o fim precoce das férias devido ao chamado do Ultimate para "salvar" o UFC 173, que acontece no dia 24 de maio, em Las Vegas, Renan Barão está no Rio de Janeiro iniciando sua preparação para a defesa de título contra TJ Dillashaw. Após um treino de boxe na Nova União, academia localizada no Flamengo, o campeão dos galos falou ao LANCE!Net sobre seu próximo desafio na divisão. 

Se por um lado o potiguar fica feliz em poder voltar de forma rápida ao octógono após sua última vitória, em fevereiro, por outro ele confessa que o fato de ter aceitado o desafio contra Dillashaw com pouco menos de dois meses para se preparar foi para ajudar o UFC. O campeão revelou se já queria voltar logo ao show ou se a decisão foi por conta do Ultimate. 

- Na realidade, foi para salvar o evento. Depois da minha última luta, passei uns 15 dias parado e depois voltei a treinar a parte de jiu-jitsu, preparação física, algo bem regenerativo. Tive a oportunidade de receber esse convite e aceitei. Meu objetivo é estar trabalhando dentro do UFC, essa é a minha vida, é o que gosto de fazer, então aceitei de braços abertos - explicou o campeão, que não sabe o que é derrota desde 2005. 

O brasileiro ainda analisou a escolha de TJ Dillashaw para ser o desafiante na disputa de título do UFC 173. Segundo Barão, o americano seria seu adversário naturalmente num futuro próximo.

- Foi justa, sim (a escolha de Dillashaw como desafiante). Era o Raphael (Assunção), que vinha de seis vitórias consecutivas, mas infelizmente ele estava machucado e dessa vez não teve a oportunidade de lutar pelo cinturão. Acho que o Dillashaw já ia ser o próximo, em seguida do Raphael, e vem de grande vitórias. Se não fosse agora, ele seria o próximo. É um cara duro, que vem mostrando sempre o seu trabalho, fazendo a parte de wrestling bem e melhorando a parte em pé, bem agressivo. Acho que vai ser show, uma boa luta - analisou.

Confira um bate-papo com Renan Barão
Qual a sua expectativa para defender o cinturão pela primeira vez em Las Vegas?
A expectativa é a melhor possível, é de realizar um grande sonho. A gente sempre sonhou com a oportunidade de lutar em Las Vegas. Tem bastante tempo, não é de hoje. Fico feliz quanto a isso, estou achando maravilhoso poder defender meu cinturão lá.

Renan Barão treina boxe na Nova União (FOTO: Luis Fernando Coutinho)

Como será enfrentar mais um membro da Team Alpha Male?
A expectativa é a melhor o possível. Eu nem tenho ideia, mas acho que um dos pontos fortes do TJ Dillashaw é o wrestling. Ele vem mostrando isso e está melhorando bastante a parte em pé, ficando bem agressivo.  Acho que ele vai tentar trocar um pouco e agarrar. Não sei se é isso mesmo o que vai acontecer... Provavelmente, né?

Você acha que o jogo em pé dele pode te favorecer a uma luta empolgante?
Tomara que a gente possa estar ali trocando bastante. Me sinto bem lutando em pé e ele está ficando bem confortável também. Espero que a gente possa dar um grande show pra todo mundo.

Recentemente, você gravou um programa ao lado da Valesca Popozuda. Ensaiou o "Beijinho no ombro" para fazer no octógono?
Não, sou fraco nisso aí. Sou mais do forrózinho mesmo (risos). Foi bem legal o programa. Ela cantou o "Beijinho no ombro", mas não ensaiei (risos).

Barão, o cinturão do UFC e Valesca Popozuda em gravação (FOTO: Reprodução/Twitter)