icons.title signature.placeholder André Santos e Daniel Hippertt
icons.title signature.placeholder André Santos e Daniel Hippertt
25/07/2013
07:13

Jogadores da Chape fizeram de tudo para aliviar o frio (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

O Brasil está enfrentando o inverno mais rigoroso dos últimos 13 anos, e, no Sul do país, onde a temperatura chegou a ficar abaixo de 0ºC esta semana, alguns clubes tiveram que alterar sua rotina de treinamentos.

Vice-líder da Série B, a Chapecoense, da cidade de Chapecó, no interior de Santa Catarina, talvez seja a mais prejudicada pelo clima. O capitão da equipe, Rafael Lima, revelou ao LANCE!Net que há muitos jogadores debilitados:

– Alguns jogadores ficaram doentes. Eu, inclusive, tive uma faringite, com febre e tudo. Várias pessoas tiveram gripe. A rotina muda, a gente procura ficar em casa. Qualquer atleta que a gente perca faz falta.

Na disputa por uma vaga na Série A, o Verdão do Oeste teve o jogo contra o América-MG, que aconteceria no sábado, adiado por conta do mau tempo, que impediu que o avião dos mineiros aterrissasse em Chapecó.

O técnico do Coritiba, Marquinhos Santos, que trabalha há 17 anos no futebol paranaense, está surpreso com as baixas temperaturas:

– Nunca passei tanto frio, fez -2ºC no treino. Estamos treinando no horário mais quente do dia, mas, mesmo assim, há o risco de lesões.

TREINOS PREJUDICADOS 

Agenor, goleiro do Inter deixou apenas os olhos de fora durante o treino (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Na última terça-feira, a comissão técnica do Grêmio preservou os jogadores, botando-os apenas para fazer musculação na academia, por conta do frio. No Internacional, houve treino normal, mas o técnico Dunga reclamou do clima:

– O controle da bola, com o vento, fica mais difícil ainda. São coisas que temos que superar – disse.

MUDANÇAS DE ROTINA

Grêmio
Na terça-feira, apenas os goleiros e o zagueiro Werley treinaram no gramado. O resto do elenco ficou na academia.

Coritiba
Os treinos tiveram duração reduzida, e os horários foram alterados para o período mais quente do dia.

Chapecoense
Atletas treinam agasalhados da cabeça aos pés. Mesmo assim, muitos apresentaram sintomas de gripe.

Caxias
O clube da Serra Gaúcha agendou vacinação dos jogadores como forma de prevenir gripes e resfriados.

 COM A PALAVRA
Marcelo Pinheiro
Meteorologista do Climatempo, ao L!Net.

Clima frio continua na próxima semana

Desde a semana passada já vínhamos alertando sobre as baixas temperaturas que estão sendo registradas. Encaminhamos às autoridades para que a população se preparasse.

O Brasil passa pelo inverno mais rigoroso dos últimos 13 anos, e a região Sul é a que mais sofre. Já sabíamos que teríamos temperaturas abaixo de 0ºC.

A partir deste fim de semana já não deve mais haver neve nem geada. No entanto, as temperaturas ainda podem permanecer baixas em algumas cidades.

BATE-BOLA
Rafael Lima
Capitão da Chapecoense, ao L!Net.

O que o frio muda na rotina de preparação do clube?
Muda já no aquecimento, que fica mais intenso. O pé fica dormente, qualquer bolada machuca. Se cair, se rala, e várias pessoas tiveram gripe. Mas temos uma comissão técnica excelente e não podemos escolher a temperatura.  

Treinar agasalhado incomoda?
Com certeza. Ter que usar aquela segunda pele por baixo da roupa é muito ruim. Tive até que comprar uma touca contra o frio. A gente tem que se virar.

A temperatura pode ser uma arma contra equipes de fora?
Quando jogamos contra o ASA, em Arapiraca, sofremos com o calor. O frio pode nos beneficiar sim. Estamos acostumados a ele.

Jogadores da Chape fizeram de tudo para aliviar o frio (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

O Brasil está enfrentando o inverno mais rigoroso dos últimos 13 anos, e, no Sul do país, onde a temperatura chegou a ficar abaixo de 0ºC esta semana, alguns clubes tiveram que alterar sua rotina de treinamentos.

Vice-líder da Série B, a Chapecoense, da cidade de Chapecó, no interior de Santa Catarina, talvez seja a mais prejudicada pelo clima. O capitão da equipe, Rafael Lima, revelou ao LANCE!Net que há muitos jogadores debilitados:

– Alguns jogadores ficaram doentes. Eu, inclusive, tive uma faringite, com febre e tudo. Várias pessoas tiveram gripe. A rotina muda, a gente procura ficar em casa. Qualquer atleta que a gente perca faz falta.

Na disputa por uma vaga na Série A, o Verdão do Oeste teve o jogo contra o América-MG, que aconteceria no sábado, adiado por conta do mau tempo, que impediu que o avião dos mineiros aterrissasse em Chapecó.

O técnico do Coritiba, Marquinhos Santos, que trabalha há 17 anos no futebol paranaense, está surpreso com as baixas temperaturas:

– Nunca passei tanto frio, fez -2ºC no treino. Estamos treinando no horário mais quente do dia, mas, mesmo assim, há o risco de lesões.

TREINOS PREJUDICADOS 

Agenor, goleiro do Inter deixou apenas os olhos de fora durante o treino (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Na última terça-feira, a comissão técnica do Grêmio preservou os jogadores, botando-os apenas para fazer musculação na academia, por conta do frio. No Internacional, houve treino normal, mas o técnico Dunga reclamou do clima:

– O controle da bola, com o vento, fica mais difícil ainda. São coisas que temos que superar – disse.

MUDANÇAS DE ROTINA

Grêmio
Na terça-feira, apenas os goleiros e o zagueiro Werley treinaram no gramado. O resto do elenco ficou na academia.

Coritiba
Os treinos tiveram duração reduzida, e os horários foram alterados para o período mais quente do dia.

Chapecoense
Atletas treinam agasalhados da cabeça aos pés. Mesmo assim, muitos apresentaram sintomas de gripe.

Caxias
O clube da Serra Gaúcha agendou vacinação dos jogadores como forma de prevenir gripes e resfriados.

 COM A PALAVRA
Marcelo Pinheiro
Meteorologista do Climatempo, ao L!Net.

Clima frio continua na próxima semana

Desde a semana passada já vínhamos alertando sobre as baixas temperaturas que estão sendo registradas. Encaminhamos às autoridades para que a população se preparasse.

O Brasil passa pelo inverno mais rigoroso dos últimos 13 anos, e a região Sul é a que mais sofre. Já sabíamos que teríamos temperaturas abaixo de 0ºC.

A partir deste fim de semana já não deve mais haver neve nem geada. No entanto, as temperaturas ainda podem permanecer baixas em algumas cidades.

BATE-BOLA
Rafael Lima
Capitão da Chapecoense, ao L!Net.

O que o frio muda na rotina de preparação do clube?
Muda já no aquecimento, que fica mais intenso. O pé fica dormente, qualquer bolada machuca. Se cair, se rala, e várias pessoas tiveram gripe. Mas temos uma comissão técnica excelente e não podemos escolher a temperatura.  

Treinar agasalhado incomoda?
Com certeza. Ter que usar aquela segunda pele por baixo da roupa é muito ruim. Tive até que comprar uma touca contra o frio. A gente tem que se virar.

A temperatura pode ser uma arma contra equipes de fora?
Quando jogamos contra o ASA, em Arapiraca, sofremos com o calor. O frio pode nos beneficiar sim. Estamos acostumados a ele.