icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma e Kaíque Ferreira
13/12/2013
07:06

Caso seja utilizado como moeda de troca ou emprestado para algum outro clube, Osvaldo sairá chateado com o São Paulo. O atacante quer continuar no Tricolor em 2014 e disse isso aos dirigentes e ao técnico Muricy Ramalho, mas sabe que seu futuro é incerto.

No primeiro semestre, a diretoria são-paulina não quis negociá-lo com o Metalist (UCR) e agora nem os mesmos ucranianos estão dispostos a pagar o quanto ofereceram na época (cerca de 6 milhões de euros). Osvaldo sairia chateado porque ficou quando estava no auge e agora não quer ser dispensado pela má fase que atravessa - não marca desde 28 de fevereiro.

Ansioso pelo nascimento de seu primeiro filho, o camisa 17 está em Fortaleza, onde recarrega as energias para ter um 2014 bem diferente. Para ele, de preferência no São Paulo, mas existe a possibilidade de ser envolvido em uma negociação com o Internacional pelo lateral-esquerdo Fabrício.

Confira, abaixo, uma entrevista exclusiva com o atacante:

Você vai continuar no São Paulo na temporada de 2014?
Se depender de mim, sim. Mas não depende só de mim. Quando saí de férias, deixei isso claro para os diretores. Eles sabem da minha vontade. Quando falei com o Muricy pela primeira vez, eu disse que estava muito bem adaptado ao clube e à cidade de São Paulo e que não tinha vontade de sair.

Pouco antes das férias você teve outra conversa com o Muricy?
Não tive nenhuma conversa. Não sei se ele pretende contar comigo para 2014, mas espero que ele possa contar porque é uma fase que vai passar. Ele sabe do meu potencial, espero que ele possa acreditar no meu futebol em 2014, que vai voltar a ser como foi no começo de 2013.

Como você recebe o interesse de outros clubes em você? Pensa que pode ser bom mudar de ares?
Vai depender do planejamento do São Paulo, espero que possa estar dentro do planejamento. Até porque um tempo atrás chegaram propostas boas para mim e para o São Paulo, e o São Paulo não liberou. Vou ficar bem chateado e triste se o São Paulo quiser fazer um empréstimo ou algo do tipo agora por causa disso. Tive propostas boas para mim e fiquei. Fico feliz pelas sondagens de muitos clubes do Brasil, mas continuo esperando a decisão do São Paulo, quero continuar. Se a diretoria decidir que não faço parte do planejamento, aí vou ver o que é melhor para mim, mas gostaria de continuar.

O que você tem de fazer de diferente para que 2014 seja melhor?
Acho que a falta de gols me prejudicou bastante. Creio que vai ser um ano com belos lances, um ano com vontade extra, como pede o Muricy. Vou procurar tentar fazer isso e acredito que vou conseguir.

Por que acredita?
Acredito porque tenho a cabeça tranquila. Esse mau momento garanto que não foi por indisciplina, não foi por nada. A gente sabe que quando chega a fase ruim é complicado, mas estou tranquilo. Grandes jogadores passaram pelo que passei. Estou com a cabeça tranquila.

Pela forma como acabou, foi um ano frustrante para o São Paulo?
Foi difícil, não era o que a gente esperava. A gente já sabe dos erros cometidos para não errar de novo. A gente sabe que quando erra, a pressão é grande. Em 2012 começamos mal, conquistamos a Sul-Americana e acabou bem. Em 2013 deixamos escapar a Libertadores e o Paulista. 2014 esperamos que seja diferente. O futebol muda muito rápido.

Quais foram os erros cometidos que viraram lição para 2014?
Acho que foram erros do grupo todo e erros individuais. A falta de confiança foi muito notável na nossa equipe. Quando a gente tomava um gol, baixava a cabeça e não tinha forças para reagir. A bola batia na trave e saía e a do adversário batia e entrava. Acho que quando a fase está ruim, tem que trabalhar porque uma hora passa e passou. Conseguimos tirar o São Paulo lá de baixo, mas temos que ser melhores em 2014.

Se acabar saindo agora do São Paulo, você sai frustrado?
Não, acho que não. Acho que vou sair com a cabeça erguida. Sempre procurei dar o meu melhor para o São Paulo. Quando cheguei não tinha oportunidade, continuei trabalhando com a mesma postura. Esse é o meu jeito desde o tempo do Fortaleza e vai continuar sendo assim. Sempre dei o meu melhor.