icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/11/2014
22:57

O Bahia recebeu o Atlético-PR precisando desesperadamente de uma vitória para tentar respirar no campeonato. Diante de pouco mais de 15 mil torcedores, o Tricolor de Aço perdeu e pode ser rebaixado matematicamente, dependendo da combinação de resutados, ainda nesta rodada. Com o resultado, a equipe baiana estacionou nos 34 pontos e ocupa a 18ª colocação. O Furacão, já sem pretensões no torneio, pulou para a oitava posição e, agora, soma 50 pontos.

BAHIA TEM INÍCIO AVASSALADOR, MAS FURACÃO EQUILIBRA

Necessitando de um bom resultado, o Tricolor baiano se lançou ao ataque. Logo no primeiro minuto, após boa arrancada e passe de Guilherme Santos, Henrique bateu de fora, com perigo. Até os dez minutos, o Bahia havia finalizado duas vezes contra nenhuma do Atlético-PR, que se via acuado pelo ímpeto dos mandantes. Os comandados de Charles Fabian apertavam a marcação no meio de campo, dificultando a saída de bola paranaense.

E MAIS:
> Confira os detalhes das campanhas de Bahia e Atlético-PR



A partir dos 20, o Rubro-Negro paranaense conseguir se desvencilhar da forte marcação e conectar bons contra ataques. A mudança de postura logo surtiu efeito. Aos 25, Marcos Guilherme foi lançado e, cara a cara com Lomba, bateu no canto. Porém, a bola saiu caprichosamente à esquerda da meta Soteropolitana. Aos 42, Bady deu lindo passe e colocou Dellatorre em ótima condição, mas Marcelo Lomba foi mais rápido e fez o corte. No fim da primeira etapa, Galhardo recebeu cruzamento  desviou para o gol. Wewerton, milagroso, evitou que o Tricolor tirasse o zero do placar.

TRICOLOR VOLTA PRESSIONANDO, MAS ATLÉTICO-PR ABRE O PLACAR

O Bahia retornou à segunda etapa da mesma forma como começou a primeira: pressionando o Furacão. Utilizando o meia Galhardo, muito participativo na partida, como válvula de escape para o ataque, o Esquadrão exerceu grande pressão, mas começou a abrir espaços em sua retaguarda. Em um destes espaços, aos 11, Marcelo arrancou e chutou para linda defesa de Marcelo Lomba. Era só o prenúncio do que estava por vir. Aos 16, após cruzamento da esquerda, Lomba falhou e o zagueiro Wilian Rocha completou para o gol de cabeça.

Após o gol, a equipe baiana foi para cima e assustou em jogadas aéreas. Entretanto, em mais um dos espaços dados pelo Bahia, Bady chutou colocado, no canto, e venceu, mais uma vez, Marcelo Lomba. Quando a partida tendia a se tornar monótona, Willian Barbio arrancou, cruzou e Henrique, dentro da pequena área, completou para o gol e deu esperanças ao Tricolor. A partir daí, o Bahia buscou empatar incessantemente e até assustou Wewerton. Porém, o Rubro-Negro administrou os últimos minutos da partida e assegurou a vitória que aumentou vertiginosamente os riscos de queda do Bahia.



FICHA TÉCNICA
BAHIA 1X2 ATLÉTICO-PR

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data/Hora: 22/11/2014, às 21h (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (SC)
Auxiliares: Cleriston Clay (SE/Fifa) e Evandro Gomes (GO)
Gols: Wilian Rocha (16'/2ºT 1-0) e Bady (25'/2ºT 2-0) (ATL-PR); Henrique (27'/2ºT 2-1) (BAH)
Cartões amarelos: Guilherme Santos, Bruno Paulista (BAH)
Cartão Vermelho: Guilherme Santos (Segundo amarelo)
Público e renda: 7.471 pagantes/ 15.353 presentes - R$ 194.874,50.

BAHIA: Marcelo Lomba; Railan (Lincoln - Intervalo), Lucas Fonseca, Titi, Pará (Jeam - 34'/2ºT); Fahel, Rafael Miranda (Willian Barbio - 22'/2ºT), Bruno Paulista, Guilherme Santos e Galhardo; Henrique. Técnico: Charles Fabian.

ATLÉTICO-PR:  Weverton; Mario Sergio, Gustavo (Wiliam Rocha - 4'/1ºT), Cleberson e Natanael; Paulinho Dias, Hernany, Bady (Zé Paulo -39' - 2ºT) e Marcos Guilherme; Marcelo (Pedro Paulo - 44'/2ºT) e Dellatorre Técnico: Claudinei Oliveira.