icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/07/2013
12:15

O técnico Paulo Autuori comandou seu segundo treino à frente do São Paulo na manhã desta sexta-feira, no CT da Barra Funda. E o foco do treinador na atividade foi o posicionamento e a marcação de seus defensores. O técnico orientou primeiro os atletas sem a bola rolando para depois executar as instruções em situações de jogo.

O treinamento começou com um rápido aquecimento, em que os atletas fizeram movimentação lateral em velocidade e piques curtos entre cones. O exercício foi supervisionado pelos dois preparadores físicos, Sérgio Rocha e Gilvan Santos, e acompanhado por Autuori à certa distância, enquanto o treinador conversava com Milton Cruz.

Depois, o elenco foi dividido em dois grupos para a realização de um trabalho técnico em espaço reduzido. Em um dos grupos, o técnico observava e pedia para que os jogadores trocassem passes e se dividissem bem pelos espaços. No outro, seu auxiliar, Renê Weber, desempenhava a mesma função.

A parte mais trabalhada pelo comandante foi o posicionamento da zaga. Com cones à frente da área em que ficavam os defensores, Autuori pediu para o ataque rodar a bola de um lado para o outro. Assim que um atleta dominava a bola, ele pedia para um marcador encostar rapidamente e diminuir os espaços. Quando a bola chegava ao ponta em uma das extremidades, o respectivo lateral que o marcava "abafava" e a defesa girava, com o outro ala fechando como um terceiro zagueiro.

No fim, o elenco fez um mini-coletivo com dois toques na bola, mas, com titulares e reservas misturados, o técnico não definiu a equipe que enfrentará o Vitória, domingo, no Barradão, pelo Campeonato Brasileiro.

Autuori quer trazer realidade dos jogos para os treinos

O técnico Paulo Autuori comandou seu segundo treino à frente do São Paulo na manhã desta sexta-feira, no CT da Barra Funda. E o foco do treinador na atividade foi o posicionamento e a marcação de seus defensores. O técnico orientou primeiro os atletas sem a bola rolando para depois executar as instruções em situações de jogo.

O treinamento começou com um rápido aquecimento, em que os atletas fizeram movimentação lateral em velocidade e piques curtos entre cones. O exercício foi supervisionado pelos dois preparadores físicos, Sérgio Rocha e Gilvan Santos, e acompanhado por Autuori à certa distância, enquanto o treinador conversava com Milton Cruz.

Depois, o elenco foi dividido em dois grupos para a realização de um trabalho técnico em espaço reduzido. Em um dos grupos, o técnico observava e pedia para que os jogadores trocassem passes e se dividissem bem pelos espaços. No outro, seu auxiliar, Renê Weber, desempenhava a mesma função.

A parte mais trabalhada pelo comandante foi o posicionamento da zaga. Com cones à frente da área em que ficavam os defensores, Autuori pediu para o ataque rodar a bola de um lado para o outro. Assim que um atleta dominava a bola, ele pedia para um marcador encostar rapidamente e diminuir os espaços. Quando a bola chegava ao ponta em uma das extremidades, o respectivo lateral que o marcava "abafava" e a defesa girava, com o outro ala fechando como um terceiro zagueiro.

No fim, o elenco fez um mini-coletivo com dois toques na bola, mas, com titulares e reservas misturados, o técnico não definiu a equipe que enfrentará o Vitória, domingo, no Barradão, pelo Campeonato Brasileiro.

Autuori quer trazer realidade dos jogos para os treinos