icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/03/2014
22:41

Cuca deixou o Atlético-MG em dezembro do ano passado. Duas características do ex-treinador, todavia, permanecem na Cidade do Galo: a escalação e as tentativas de ligação direta. A primeira é uma opção de Paulo Autuori. As bolas lançadas da defesa, por outro lado, são combatidas insistentemente pelo atual técnico alvinegro.

Após o empate com o Nacional (PAR), na noite desta quarta-feira, pela Copa Libertadores, no Estádio Independência, o comandante avaliou os ‘chutões’ dos homens de defesa como um ponto negativo.

– Foi um jogo muito pegado. Um adversário que fez um bom jogo, com boa marcação. Não fizemos o jogo como queríamos, com muita pressa e bola direta, mas não faltou luta dos jogadores até o final. Facilitamos a maneira do adversário defender, porque estávamos com muita bola direta – criticou o técnico do Atlético, que ainda completou:

– A equipe precisa ter mais posse de bola e não entrar na pilha de jogar a bola lá na frente de qualquer maneira. Não alteramos em nada a maneira de jogar da equipe. Mantivemos os atletas que eram titulares no ano passado.

LEIA MAIS:
> Atlético-MG perde pênalti e só empata em casa contra o Nacional
> R10 justifica pênalti perdido e é defendido por técnico do Galo

Desde que chegou à Cidade do Galo, Paulo Autuori trabalha a manutenção da posse de bola. Este trabalho, porém, não surtiu efeito ainda. Ele explica que a oscilação de seus comandados durante os 90 minutos é um fator que inibe a implantação da ideia.

– Não tem nada a ver com o lance de entender ou deixar de entender. Não estamos dando continuidade durante os jogos. Sofremos o gol de pênalti no último jogo, mas tivemos chances para matar o jogo – concluiu.