icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
08/07/2014
06:15

“Aquela final foi um momento único na minha carreira, na minha vida, nunca tinha imaginado uma decisão como aquela. Portugal era favorito, mas nós tínhamos muita confiança porque o time tinha ganhado bem o Sul-Americano.”

A declaração acima é de Oscar e foi dada ao LANCE!Net uma semana antes da convocação de Felipão. O meia lembrava a final mágica do Mundial Sub-20 de 2011, na qual fez os três gols da vitória por 3 a 2 sobre Portugal. Naquela ocasião, como agora, a Seleção jogava sem seu maior astro, Neymar. O time havia sido montado na conquista do Sul-Americano. Como este de Felipão, montado na Copa das Confederações-2013.

Nesta terça-feira, às 17h, no Mineirão, contra a Alemanha, que passou a ser favorita após o corte de Neymar, Oscar pode ser de novo protagonista. Personalidade para isso o camisa 11 já demonstrou que tem. Como na nervosa estreia diante da Croácia. Fez um gol e, para alguns, foi o melhor em campo, mesmo com Neymar tendo feito outros dois gols nos 3 a 1. Justamente quando todos pediam o meia Willian, que arrebentava em treinos e amistosos, em seu lugar.

Quem o viu no Mundial Sub-20, três anos mais novo, aposta.

– Oscar não me surpreendeu naquela ocasião. Eu lembro que, antes da final, dei uma entrevista, dizendo que não entendia como ele não tinha sido colocado na lista dos melhores do Mundial. Da Seleção, o Henrique (centroavante) acabou sendo eleito o craque do torneio. Oscar começou a final como meia, mas em um determinado momento em que nós estávamos perdendo por 2 a 1, decidi tirar um volante e recuá-lo. Ele trabalhou como segundo volante, recuado, armando e chegando no ataque. E foi assim que decidiu e ajudou na virada do jogo – lembra Ney Franco, então técnico da Seleção e hoje no Flamengo.

Oscar, sincero, nem sonha repetir a atuação perfeita da final. Mas pensa no título da Copa do Brasil, claro. Com ou sem Neymar.

– Superamos a saída do Neymar e do Lucas no Mundial Sub-20 e fizemos uma grande campanha. Não penso repetir aqueles três gols numa final de Copa, é bem mais difícil, são os melhores do mundo, mas meio gol meu já será ótimo!


Oscar (segundo da dir. à esq.) comemora o título mundial sub-20, em 2011 (Foto: Reuters)

OS MUNDIAIS DE OSCAR

Seleção Brasileira Sub-20 - 2011
Na primeira fase, o Brasil empatou com o Egito (1x1) e goleou a Áustria (3x0) e o Panamá (4x0). Philippe Coutinho (3), Henrique (2), Willian José, Dudu e Danilo marcaram os gols.
Nas oitavas, a Seleção bateu a Arábia Saudita por 3 a 0, com gols de Henrique, Gabriel Silva e Dudu.
Nas quartas de final, empatou por 2 a 2 com a Espanha (com 4 a 2 nos pênaltis), com gols de Willian José e Dudu.
Na semifinal, vitória sobre o México por 2 a 0, gols de Henrique.
Na final, enfim, 3 a 2 sobre Portugal, com três gols de Oscar, sendo o último na prorrogação.
Henrique foi artilheiro e eleito o craque do Mundial.

Internacional - 2010
Oscar era reserva do time de Celso Roth, eliminado pelo então desconhecido Mazembe, do Congo, campeão africano. Entrou no segundo tempo, substituindo Rafael Sobis.

Chelsea (ING) - 2012
Contra o Corinthians, de novo começou partida decisiva do Mundial de Clubes no banco de reservas, já que o técnico espanhol Rafael Benítez preferiu escalar o nigeriano Moses. Entrou no segundo tempo, mas não conseguiu evitar a derrota do time inglês.

Seleção Brasileira - Copa do Mundo 2014
Estreou pressionado pela boa fase do reserva Willian e foi decisivo na estreia na vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, marcando inclusive um gol, na Arena Corinthians. Nos jogos seguintes, contra México, Camarões, Chile e Colômbia, atuou pelos lados do campo e não teve atuação destacada