icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma
icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma
30/07/2013
13:50

Desde o anúncio da participação do São Paulo na Copa Audi, os organizadores destacavam a presença de Lúcio, que foi ídolo do Bayern de Munique (ALE). No entanto, o Tricolor chegou em Munique sem o zagueiro, que foi afastado por indisciplina pelo técnico Paulo Autuori. A notícia pegou os alemães de surpresa e eles questionaram o comandante do Tricolor.

Durante entrevista coletiva com os quatro treinadores participantes do torneio, o são-paulino foi questionado pelo mediador do evento sobre a ausência do defensor. Autuori deixou claro para toda a imprensa internacional que a decisão foi tomada por ele porque Lúcio estava colocando as vontades pessoais acima do grupo:

- O Lúcio eu pude trabalhar com ele em 1999, no Internacional. Agora nos reencontramos no São Paulo. Como técnico, temos que sempre tomar decisões, simples ou complexas, drásticas ou não. Há uma diferença muito clara de necessidade e vontade pessoal. Infelizmente, isso não aconteceu com o Lúcio, e a decisão é de minha inteira responsabilidade de ele não ter jogado contra o Corinthians e viajado para cá. As decisões têm de ser tomadas e tomei consciente de que o mais importante é a saúde do grupo e do vestiário.

O zagueiro jogou no Bayern de Munique de 2004 a 2009 e conquistou diversos títulos. Antes, ele também havia defendido o Bayer Leverkusen. Sem o camisa 3, a zaga titular do São Paulo será formada por Rafael Toloi e Paulo Miranda.

Desde o anúncio da participação do São Paulo na Copa Audi, os organizadores destacavam a presença de Lúcio, que foi ídolo do Bayern de Munique (ALE). No entanto, o Tricolor chegou em Munique sem o zagueiro, que foi afastado por indisciplina pelo técnico Paulo Autuori. A notícia pegou os alemães de surpresa e eles questionaram o comandante do Tricolor.

Durante entrevista coletiva com os quatro treinadores participantes do torneio, o são-paulino foi questionado pelo mediador do evento sobre a ausência do defensor. Autuori deixou claro para toda a imprensa internacional que a decisão foi tomada por ele porque Lúcio estava colocando as vontades pessoais acima do grupo:

- O Lúcio eu pude trabalhar com ele em 1999, no Internacional. Agora nos reencontramos no São Paulo. Como técnico, temos que sempre tomar decisões, simples ou complexas, drásticas ou não. Há uma diferença muito clara de necessidade e vontade pessoal. Infelizmente, isso não aconteceu com o Lúcio, e a decisão é de minha inteira responsabilidade de ele não ter jogado contra o Corinthians e viajado para cá. As decisões têm de ser tomadas e tomei consciente de que o mais importante é a saúde do grupo e do vestiário.

O zagueiro jogou no Bayern de Munique de 2004 a 2009 e conquistou diversos títulos. Antes, ele também havia defendido o Bayer Leverkusen. Sem o camisa 3, a zaga titular do São Paulo será formada por Rafael Toloi e Paulo Miranda.