icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/12/2013
00:07

Um dos auditores nomeado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para julgar na próxima segunda a suposta escalação irregular de jogador pela Lusa no Campeonato Brasileiro já "adiantou" seu voto. Sem saber que faria parte do grupo de cinco profissionais da comissão disciplinar que avaliará o caso, Washington Rodrigues de Oliveira escreveu um texto em sua página no Facebook (reproduzido acima) com comentários sobre o episódio. Entre os comentários, o jurista declarou que escalar atleta punido sob o argumento de desconhecer o fato é uma atitude de "várzea". 

No longo texto que escreveu, Washington declarou que não poderia comentar especificamente o caso da Portuguesa por não conhecê-lo profundamente, mas opinou sobre penalidade a quem escala atleta suspenso. Ele ainda afirma que se eventualmente o Fluminense for beneficiado entende quem tiver "impressão de cariocada" pelo fato de o STJD situar-se Rio de Janeiro e ressaltou que seria "um direito legítimo de assim entendenrem os leigos, e os que desconhecem o direito desportivo". 

Horas depois da mensagem, o auditor escreveu que fora convocado, mesmo em férias, para o processo envolvendo a Portuguesa. 

A Lusa é acusada de escalar irregularmente Heverton diante do Grêmio, na última rodada do Campeonato Brasileiro, domingo passado, no Canindé. O atleta foi julgado na sexta anterior e tomou dois jogos de suspensão. Como só havia cumprido um ainda teria outro a fazê-lo. Porém, aos 32 minutos da partida ele foi colocado em campo. Caso seja punida, a Portuguesa perderá três pontos e mais o que ela ganhou no empate, somando assim quatro. Com isso, seria ultrapassada pelo Fluminense na tabela e rebaixada, livrando a pele dos cariocas.