icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2014
00:55

O título da Copa do Brasil conquistado pelo Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Mineirão, passou pela cabeça de Diego Tardelli. O atacante marcou o gol da vitória sobre o Cruzeiro, evitando assim a conquista da Tríplice Coroa por parte dos rivais, no fim da etapa inicial. Na avaliação do LANCE!Net, o camisa 9 foi o protagonista da decisão. Mas não foi só ele. O argentino Dátolo mostrou sua maestria durante os 90 minutos. Vale citar também as atuações seguras de Jemerson, Maicosuel e Marcos Rocha. Pelo lado azul, com boas defesas, Fábio foi um dos poucos que conseguiram se salvar.

CRUZEIRO, por Bernardo Cruz (bernardocruz@lancenet.com.br)


Fábio
6,5
Foi o único jogador do Cruzeiro que se salvou. Não teve culpa no gol e fez boas defesas.

Ceará
2,5
Uma verdadeira avenida para o Atlético. Sentiu a decisão e a falta de ritmo de jogo.

Léo
3,5
Bateu cabeça com Bruno Rodrigo e teve muita dificuldade com os avanços do Atlético-MG.

Bruno Rodrigo
3,5
 Também não encontrou o melhor futebol desde que se recuperou da operação. Inconstante.

Egídio
3,5
Não teve o ímpeto ofensivo habitual e deixou espaços. Parecia estar com a cabeça já em 2015.

Henrique
3,0
 Não deu proteção à zaga, deixou espaços e ainda deu condição no gol de Diego Tardelli.

Nilton
5,5
O único que ainda conseguiu ganhar divididas e mostrar um pouco de disposição.

Everton Ribeiro
3,5
Completamente apagado. É um jogador nos pontos corridos, e outro quando é jogo mata-mata.

Ricardo Goulart
4,0
 Parece que estava preso no chão. É verdade que buscou jogadas, mas a finalização deixou a desejar.

Willian
4,0
 Abusou do direito de tentar cavar faltas. Foi pouco efetivo e ainda levou amarelo.

Marcelo Moreno
2,5
Foi visto mais caído e correndo sem objetivo em campo do que bem posicionado dentro da área.

Willian Farias
4,0
Entrou no lugar de Henrique e pouco foi notado em campo.

Dagoberto
5,5
Buscou, ao menos, tentar diminuir o prejuízo da Raposa. Participativo.

Júlio Baptista
4,0
Mostrou muito pouco nos minutos em que esteve em campo.

TÉC: Marcelo Oliveira
3,0
O Cruzeiro parece ter entrado de férias no domingo. Foi dominado e acabou derrotado de novo.

LEIA MAIS
> Campeão pelo rival, Levir iguala o título da Copa do Brasil pelo Galo
> #Eu acredito: Veja como o Galo virou o rei do mata-mata no futebol brasileiro
> Além do título, Atlético-MG põe fim a tabu de 76 anos sobre o rival


ATLÉTICO-MG, por Bernardo Cruz (bernardocruz@lancenet.com.br)


Victor
6,5
Pouco foi acionado. Quando precisou entrar em ação, não teve muito trabalho.

Marcos Rocha
7,5
Firme na defesa, usou da velocidade no ataque e quase marcou um gol no primeiro tempo.

Leonardo Silva
7,5
Soberano na defesa. Ganhou todas as disputas e apareceu bem no ataque nas bolas paradas.

Jemerson
7,5
No mesmo nível do companheiro. Firme nos desarmes não deu chance ao ataque celeste.

Douglas Santos
7,0
Conseguiu aliar bem o desempenho na defesa e no ataque. Foi mais tímido que Marcos Rocha.

Leandro Donizete
4,5
 Mostrou muita raça e empenho, mas abusou das faltas e foi expulso no segundo tempo.

Rafael Carioca
7,0
 Deu qualidade na saída de bola e proteção ao sistema defensivo. Substituiu Josué à altura.

Dátolo
8,5
Um dos grandes nomes na conquista. Perdeu um gol, mas deu o cruzamento para Tardelli.

Luan
6,5
Fazia uma boa partida, puxando contra-ataques, mas saiu com torção no joelho esquerdo.

Carlos
6,0
Destoou um pouco do time. Mesmo assim, não comprometeu e foi útil no sistema ofensivo.

Diego Tardelli
8,0
Perdeu uma grande chance, mas armou boas jogadas e fez o gol que sacramentou o título.

Maicosuel
7,5
 Manteve o nível ofensivo no lugar de Luan e quase marcou um gol. Cadenciou o jogo no fim.

Pierre
6,5
Entrou no lugar de Rafael Carioca e não comprometeu.

Eduardo
-
Entrou no fim.

TÉC: Levir Culpi
8,5
 Não jogou com o regulamento e deu um verdadeiro baile no Cruzeiro. Venceu e foi campeão com justiça.