icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
21/08/2015
07:54

Em negociação avançada para lançar uma marca exclusiva de material esportivo em 2016, o Santos vive os últimos meses do contrato com a Nike/Netshoes em constante atrito. Na noite desta quinta-feira, em um prédio na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo, clube e empresa fizeram a festa de lançamento dos uniformes que o torcedor conhece há 44 dias e já são usados pelos atletas nos jogos do Brasileirão e da Copa do Brasil. Para valorizar o evento, houve destaque especial à terceira camisa, que será utilizada pela primeira vez neste sábado, contra o Avaí.

Essa terceira camisa, na cor cinza, foi uma das principais razões para Santos e Nike/Netshoes decidirem encerrar a parceria que havia sido iniciada em 2012. O novo modelo, diferente do padrão branco e listrado, foi aprovado em 2014, mas a diretoria santista que assumiu o comando neste ano pediu revisão por não gostar da cor cinza. Nike/Netshoes se revoltaram com a atitude, já que as camisas já estavam prontas e ficaram em estoque entre fevereiro e julho, quando o Santos finalmente deu o braço a torcer e aprovou o modelo via Conselho Deliberativo.

Na noite desta quinta, os jogadores Gabigol, Alison, Gabriel Gasparotto, Luize, Dani e Rosane desfilaram com a camisa cinza no evento que ainda contou com a participação dos rappers Edi Rock e Mano Brown, além de torcedores e convidados especiais, como o ex-presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. Diferentemente do que ocorreu em todos os últimos anos, o evento não teve a presença de nenhum dirigente do Santos, e quem representou o presidente Modesto Roma Júnior foi seu sobrinho, Moacyr Roma, assessor do mandatário.

Os modelos lançados há 44 dias e festejados nesta quinta-feira deverão mesmo ser os últimos da conflituosa parceria entre Santos e Nike/Netshoes. O clube no momento tenta encaminhar um acordo de fornecimento de material esportivo para ter uma marca exclusiva em 2016.

A criação dessa linha exclusiva passa por três etapas: desenvolvimento dos modelos, fabricação e distribuição. Neste caso, a mais delicada é a primeira, da empresa que desenvolverá as linhas de jogo, casual e todos os outros itens. Apesar de ter um acordo próximo com a Kappa, com quem desenvolveria a linha "Kappa Pelé" para estampar em seu uniforme, o Santos negocia com a canadense The Dry World e mais duas empresas.

Em negociação avançada para lançar uma marca exclusiva de material esportivo em 2016, o Santos vive os últimos meses do contrato com a Nike/Netshoes em constante atrito. Na noite desta quinta-feira, em um prédio na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo, clube e empresa fizeram a festa de lançamento dos uniformes que o torcedor conhece há 44 dias e já são usados pelos atletas nos jogos do Brasileirão e da Copa do Brasil. Para valorizar o evento, houve destaque especial à terceira camisa, que será utilizada pela primeira vez neste sábado, contra o Avaí.

Essa terceira camisa, na cor cinza, foi uma das principais razões para Santos e Nike/Netshoes decidirem encerrar a parceria que havia sido iniciada em 2012. O novo modelo, diferente do padrão branco e listrado, foi aprovado em 2014, mas a diretoria santista que assumiu o comando neste ano pediu revisão por não gostar da cor cinza. Nike/Netshoes se revoltaram com a atitude, já que as camisas já estavam prontas e ficaram em estoque entre fevereiro e julho, quando o Santos finalmente deu o braço a torcer e aprovou o modelo via Conselho Deliberativo.

Na noite desta quinta, os jogadores Gabigol, Alison, Gabriel Gasparotto, Luize, Dani e Rosane desfilaram com a camisa cinza no evento que ainda contou com a participação dos rappers Edi Rock e Mano Brown, além de torcedores e convidados especiais, como o ex-presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. Diferentemente do que ocorreu em todos os últimos anos, o evento não teve a presença de nenhum dirigente do Santos, e quem representou o presidente Modesto Roma Júnior foi seu sobrinho, Moacyr Roma, assessor do mandatário.

Os modelos lançados há 44 dias e festejados nesta quinta-feira deverão mesmo ser os últimos da conflituosa parceria entre Santos e Nike/Netshoes. O clube no momento tenta encaminhar um acordo de fornecimento de material esportivo para ter uma marca exclusiva em 2016.

A criação dessa linha exclusiva passa por três etapas: desenvolvimento dos modelos, fabricação e distribuição. Neste caso, a mais delicada é a primeira, da empresa que desenvolverá as linhas de jogo, casual e todos os outros itens. Apesar de ter um acordo próximo com a Kappa, com quem desenvolveria a linha "Kappa Pelé" para estampar em seu uniforme, o Santos negocia com a canadense The Dry World e mais duas empresas.