icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/03/2014
11:13

O último treino do Fluminense antes da partida decisiva diante do Volta Redonda, neste domingo, às 16h, em Macaé, que definirá o segundo colocado na Taça Guanabara, começou dentro do vestiário das Laranjeiras. Os jogadores e a comissão técnica ficaram reunidos e tiveram um longo papo que durou quase uma hora longe dos holofotes e da torcida que marcou presença na sede do clube.

Após a conversa, o elenco tricolor, que contou com Carlinhos e Wellington Silva, foi ao campo e aqueceu da maneira mais boleira que existe, jogando o tradicional bobinho. Depois foram divididos em duas equipes para a disputa de um rachão em campo reduzido, onde os jogadores foram recepecionados de uma maneira, digamos, não muito agradável pelos torcedores.

OPINE
> Tricolor, o que você achou do protesto da torcida no treino do Fluminense?

MAIS
> Derrota para zebra cearense pode atrapalhar planos futuros do Fluminense
> Bruno não cogita hipótese de eliminação do Flu na Copa do Brasil 

Insatisfeita com o atual momento da equipe, a torcida tricolor presente no treinamento não poupou a equipe e pediu raça, além de proferir xingamentos ao elenco tricolor. Os principais alvos foram Bruno, Jean e Fred. O camisa 9, inclusive, sofreu com os torcedores que insistiam em gritar que a seleção do capitão tricolor deveria ser o próprio Fluminense. Por outro lado, Carlinhos, que vive um drama familiar após a morte do seu filho recém-nascido teve seu nome gritado de maneira positiva.