icons.title signature.placeholder Amélia Sabino e Leo Burlá
02/12/2013
22:20

Dirigentes da Fifa e do COL se reuniram nesta segunda-feira, na Costa do Sauípe (BA), para discutirem o andamento das obras nos seis estádios que ainda não estão prontos para a Copa do Mundo, além de monitorar a situação dos que foram entregues para a Copa das Confederações.

A preocupação ficou por conta do atraso na Arena da Baixada, que está com um índice de 85,53% de conclusão. No encontro, o clube foi cobrado. O prazo estabelecido para a entrega dos estádios é 31 de dezembro. Mário Celso Petraglia, presidente do Atlético-PR, e representantes da Secopa-PR também estavam presentes.

Dois fatores contribuíram para que a obra não avançasse conforme o planejado: a demora na liberação do empréstimo do BNDES e a contratação de diversas construtoras para fazer partes diferentes da reforma de adequação da Copa. O clube anunciou este ano que a cobertura retrátil não ficará pronta para a Copa. A reportagem procurou Petraglia para comentar a situação mas não foi atendida.

Nesta terça, uma nova reunião, agora liderada por Eugenio Figueiredo, presidente da Conmebol e do Comitê da Fifa para a Copa, vai analisar os informes que foram coletados na última reunião.

O acidente na Arena Corinthians também foi discutido. As obras foram retomadas nesta segunda, mas a Fifa e o COL pediram uma avaliação mais detalhada do dano causado na estrutura do estádio. Um guindaste despencou sob a arquibancada na quarta-feira passada e vitimou dois operários da construção. A retomada e conclusão do estádio corintiano é vista como um ponto de interrogação nas discussões internas.