icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/06/2014
20:31

Henri Castelli é um dos galãs atuais das novelas da TV Globo. Volta e meia, ele aparece na telinha na pele de diferentes personagens, mas, na vida real, um papel ele faz questão de representar em qualquer lugar: o de torcedor fanático pelo São Paulo Futebol Clube.

Nascido em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, Henri nem sabe explicar como começou a torcer pelo clube do Morumbi.

- A paixão vem de criança. Nem meu pai nem minha mãe torciam para o clube de futebol. Não sei por que aprendi a gostar do São Paulo. Eu morava em São Bernardo, nem era aqui no Morumbi, onde moro agora, bem perto do estádio, onde freqüento – conta o ator, que afirma que sua paixão vai além do futebol, já que gosta de tudo o que envolve o clube.

- Gosto daqui, me sinto em casa e trago meu filho, minha mãe...

Henri conta que já fez algumas loucuras pelo clube, todas impublicáveis. Mas uma em especial marcou sua vida. Em 2005, ele fazia o papel de Pedro na novela “Belíssima”. No fim de novembro daquele ano, seu personagem foi assassinado na trama e, dia 10 de dezembro, o ator casou-se com a modelo Isabelli Fontana.

No dia 14 o São Paulo faria sua estreia no Mundial de Clubes, no Japão, onde tentaria o tricampeonato da principal competição de clubes do planeta. Ele, então, fez um acordo com a esposa. Passariam o início da lua de mel no Japão, durante o Mundial. Assim, chegaram dia 13, na véspera da estreia do Tricolor, e foram embora dia 19, no dia seguinte à final.

Ele deu sorte ao clube, que bateu o Liverpool na decisão por 1 a 0, com gol do volante Mineiro, e garantiu o terceiro título mundial. Então, eles seguiram felizes para o restante da lua de mel.

- Nós já íamos viajar para Austrália, Bali, Taiti e Nova Zelândia. Então, a gente botou o Japão no roteiro. É um país ótimo para visitar – explica Castelli, que chegou até a cogitar se candidatar a conselheiro do clube, para entrar na vida política, mas desistiu, por não se ver com as características políticas necessárias.

Apesar disso, ele não se furta de analisar o atual momento do Tricolor no Campeonato Brasileiro.

- O São Paulo tem um time bom, precisamos de um zagueiro, mas estamos bem do meio para frente. Pelo nível que está o futebol brasileiro, acho que o São Paulo está bem. Sou fã do Muricy (Ramalho, treinador). Ele poderá pensar e trabalhar melhor nessa parada para a Copa do Mundo – analisa o torcedor, que foi ao Morumbi para apoiar a seleção brasileira no amistoso contra a Sérvia, no último teste antes da Copa. Mas nada de camisa amarela. Ele foi ao estádio com a camisa do São Paulo.

Paixão é para se viver e se mostrar. Seja onde for, desde que seja com as cores do clube do coração.