icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2013
15:22

Após os casos de doping, o queniano David Rudisha foi confirmado como mais uma ausência no Mundial de Atletismo de Moscou, nesta segunda-feira. Só que ao contrário do americano Tyson Gay, e dos jamaicanos Asafa Powell e Sherone Simpson, o ouro em Londres-2012 e no Mundial de Daegu, em 2011, nos 800m, não irá por lesão. Ele, que chegou a procurar tratamento na Alemanha, não se recuperou de um problema no joelho direito ocorrido em maio.

Segundo o treinador de Rudisha, a lesão pode ter sido ocasionada antes de um campeonato nos Estados Unidos, durante treinamento do atleta no Quênia. O Mundial vai de 10 a 18 de agosto.

- Os médicos na Alemanha disseram que ele teria três semanas para recuperação e nós pensamos que teria sete semanas para treino. Ele tem melhorado bastante, mas nós não queremos fazer uma preparação intensa agora para o Campeonato Mundial, o que poderia agravar a lesão - afirmou o treinador.

Após os casos de doping, o queniano David Rudisha foi confirmado como mais uma ausência no Mundial de Atletismo de Moscou, nesta segunda-feira. Só que ao contrário do americano Tyson Gay, e dos jamaicanos Asafa Powell e Sherone Simpson, o ouro em Londres-2012 e no Mundial de Daegu, em 2011, nos 800m, não irá por lesão. Ele, que chegou a procurar tratamento na Alemanha, não se recuperou de um problema no joelho direito ocorrido em maio.

Segundo o treinador de Rudisha, a lesão pode ter sido ocasionada antes de um campeonato nos Estados Unidos, durante treinamento do atleta no Quênia. O Mundial vai de 10 a 18 de agosto.

- Os médicos na Alemanha disseram que ele teria três semanas para recuperação e nós pensamos que teria sete semanas para treino. Ele tem melhorado bastante, mas nós não queremos fazer uma preparação intensa agora para o Campeonato Mundial, o que poderia agravar a lesão - afirmou o treinador.