icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2013
21:31

Duelo de Atléticos no estádio Independência. De um lado, o mineiro, campeão da Libertadores, com 10 pontos no Brasileirão e buscando deixar as festividades de lado para concentrar no torneio nacional. De outro, o paranaense, embalado por uma vitória de virada sobre a Portuguesa, e com os mesmos 10 pontos na tábua de classificação. Neste duelo de seis pontos, em Minas Gerais, o Furacão triunfou por 2 a 1, em confronto emocionante.

Foi a primeira derrota do Atlético-MG no Horto. Eram 38 jogos de invencibilidade no estádio. Além disso, o Galo já não era batido como mandante há 54 compromissos. Bernard abriu o placar, mas foi expulso na comemoração por tirar a camisa. Everton e Éderson viraram nos minutos finais.

A primeira surpresa da noite foi a não escalação de Ronaldinho Gaúcho pelo lado alvinegro. Com uma forte gripe, o craque do Galo foi poupado pelo técnico Cuca, que optou por escalar Luan no meio campo e Junior César na lateral esquerda, ganhando a posição de Richarlyson. Pelo lado rubro-negro, Vagner Mancini também contou com desfalques. Das quatro perdas do treinador, Paulo Baier foi o principal desfalque do Furacão.

Jogo morno e equilibrado na etapa inicial

A partida começou equilibrada, com a equipe da casa imprimindo ações mais ofensivas ao gol adversário. O Galo chegou bem, agitando a torcida nas finalizações de Bernard e Josué. Suportando bem a pressão inicial, o Furacão usou a velocidade para agredir os anfitriões nos contra-ataques. Pela direita, o Atlético-PR avançou com perigo, com Marcelo levando grande vantagem no mano a mano com os jogadores do Galo. De lá saíram duas jogadas que forçaram o goleiro Victor a deixar sua meta e recorrer ao chutão.

Carente da genialidade de R10 no meio campo, os mineiros buscavam trocar passes e penetrar na grande área com as jogadas individuais de Bernard. Já os visitantes, sem Paulo Baier, contavam com a boa apresentação de Marcelo, que levou a melhor sobre Réver, mas não teve o mesmo sucesso com Dellatorre, no momento da finalização. Em um dos lances mais perigosos do time paranaense, Elias usou sua canhotinha para acertar um belo chute de fora da área que Victor espalmou para escanteio.

Nos cinco minutos finais da primeira etapa, o Galo ainda perdeu Jô, que sentiu uma pancada no joelho e teve que deixar o campo. Durante os primeiros 45 minutos de jogo morno no Independência, o Atlético-MG foi ligeiramente melhor, mas nenhuma das equipes fez o suficiente para inaugurar o marcador.

Bernard incendeia o Horto, mas Galo morre dentro de casa

Para a segunda etapa, Cuca promoveu a entrada de Michel no lugar de Pierre. O objetivo era ter um homem a mais para armar as jogadas. A troca surtiu efeito, e o Galo reiniciou o jogo melhor. Michel finalizou com perigo nos primeiros segundos de jogo e Alecsandro, dois minutos mais tarde, chutou fraco, cara a cara com Weverton. Sem Pierre para resguardar a defesa alvinegra, o Atlético-PR ganhou ainda mais espaço no meio campo e aumentou a frequência das descidas em velocidade. As duas equipes protagonizaram um jogo mais aberto e organizado em campo, contudo, sem deixar a ansiedade de lado, o que prejudicou os dois lados.

Aos 22 minutos, o Galo teve uma falta perigosa na meia lua, que Bernard teve a responsabilidade de cobrar. A bola, no entanto, saiu fraca e rasteira, o que facilitou a a vida dos visitantes. Com maior domínio no segundo tempo, a equipe de Cuca pouco conseguiu criar oportunidades de perigo. Alecsandro mal participava do jogo. Mais tímido e fechado que na etapa inicial, o Atlético-PR se destinou a aprovitar os contra-ataques para tentar sair na frente.

Buscando dar ainda mais velocidade ao time, Cuca colocou Neto Berola em campo, mas o camisa 25 foi responsável mesmo por dar um lançamento primoroso à Bernard. A bola rasteira cruzou toda a intermediária chegando ao Bambino que, de perna esquerda, estufou as redes. Na comemoração, Bernard tirou a camisa, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Por ironia, começava ali o castigo para os donos da casa.

Nos cinco minutos finais, o Atlético-PR virou a partida com uma velocidade digna de furacão. Aos 40, a jogada de Zezinho sobra para Everton, que chuta cruzado e empata o jogo. Dois minutos mais tarde, Zezinho faz outra bela jogada, agora pela esquerda, e cruza para Éderson, no primeira trave, se adiantar e decretar a virada.

Ainda houve tempo para Alecsandro carimbar a trave e Tardelli marcar um gol, anulado pela arbitragem. Com Victor jogando de atacante, o Galo ainda tentou sua última jogada aos 49 minutos de jogo, mas não deu. O xará do Paraná se torna o primeiro time a visitar o Horto e derrotar os mineiros dentro do novo Independência.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 2 ATLÉTICO-PR
Local: Independência, Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 31/7/2013 - 19h30
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Auxiliares: Alberto Poletto (SP) e Vanderson Antônio Zenotti (ES)
GOLS:  Bernard, 34' 2ºT (1-0), Everton, 40' 2ºT(1-1) e Éderson, 42' 2ºT(1-2)
Cartões amarelos:  Bernard, Leonardo Silva  e Diego Tardelli (CAM) e Bruno Silva (CAP)
Cartões vermelhos:  Bernard (CAM)
Público/Renda: 14.913 presentes / R$ 689.830,00

Atlético-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Rever e Junior César; Pierre (Michel, intervalo) e Josué; Bernard, Diego Tardelli, Luan (Neto Berola, 28'2ºT) e Jô (Alecsandro, 40'1ºT). Técnico: Cuca

Atlético-PR: Weverton, Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Juninho, Bruno Silva, Everton e Elias (Felipe, 27'2ºT); Marcelo e Dellatorre (Éderson, 31'2ºT). Técnico: Vágner Mancini

Duelo de Atléticos no estádio Independência. De um lado, o mineiro, campeão da Libertadores, com 10 pontos no Brasileirão e buscando deixar as festividades de lado para concentrar no torneio nacional. De outro, o paranaense, embalado por uma vitória de virada sobre a Portuguesa, e com os mesmos 10 pontos na tábua de classificação. Neste duelo de seis pontos, em Minas Gerais, o Furacão triunfou por 2 a 1, em confronto emocionante.

Foi a primeira derrota do Atlético-MG no Horto. Eram 38 jogos de invencibilidade no estádio. Além disso, o Galo já não era batido como mandante há 54 compromissos. Bernard abriu o placar, mas foi expulso na comemoração por tirar a camisa. Everton e Éderson viraram nos minutos finais.

A primeira surpresa da noite foi a não escalação de Ronaldinho Gaúcho pelo lado alvinegro. Com uma forte gripe, o craque do Galo foi poupado pelo técnico Cuca, que optou por escalar Luan no meio campo e Junior César na lateral esquerda, ganhando a posição de Richarlyson. Pelo lado rubro-negro, Vagner Mancini também contou com desfalques. Das quatro perdas do treinador, Paulo Baier foi o principal desfalque do Furacão.

Jogo morno e equilibrado na etapa inicial

A partida começou equilibrada, com a equipe da casa imprimindo ações mais ofensivas ao gol adversário. O Galo chegou bem, agitando a torcida nas finalizações de Bernard e Josué. Suportando bem a pressão inicial, o Furacão usou a velocidade para agredir os anfitriões nos contra-ataques. Pela direita, o Atlético-PR avançou com perigo, com Marcelo levando grande vantagem no mano a mano com os jogadores do Galo. De lá saíram duas jogadas que forçaram o goleiro Victor a deixar sua meta e recorrer ao chutão.

Carente da genialidade de R10 no meio campo, os mineiros buscavam trocar passes e penetrar na grande área com as jogadas individuais de Bernard. Já os visitantes, sem Paulo Baier, contavam com a boa apresentação de Marcelo, que levou a melhor sobre Réver, mas não teve o mesmo sucesso com Dellatorre, no momento da finalização. Em um dos lances mais perigosos do time paranaense, Elias usou sua canhotinha para acertar um belo chute de fora da área que Victor espalmou para escanteio.

Nos cinco minutos finais da primeira etapa, o Galo ainda perdeu Jô, que sentiu uma pancada no joelho e teve que deixar o campo. Durante os primeiros 45 minutos de jogo morno no Independência, o Atlético-MG foi ligeiramente melhor, mas nenhuma das equipes fez o suficiente para inaugurar o marcador.

Bernard incendeia o Horto, mas Galo morre dentro de casa

Para a segunda etapa, Cuca promoveu a entrada de Michel no lugar de Pierre. O objetivo era ter um homem a mais para armar as jogadas. A troca surtiu efeito, e o Galo reiniciou o jogo melhor. Michel finalizou com perigo nos primeiros segundos de jogo e Alecsandro, dois minutos mais tarde, chutou fraco, cara a cara com Weverton. Sem Pierre para resguardar a defesa alvinegra, o Atlético-PR ganhou ainda mais espaço no meio campo e aumentou a frequência das descidas em velocidade. As duas equipes protagonizaram um jogo mais aberto e organizado em campo, contudo, sem deixar a ansiedade de lado, o que prejudicou os dois lados.

Aos 22 minutos, o Galo teve uma falta perigosa na meia lua, que Bernard teve a responsabilidade de cobrar. A bola, no entanto, saiu fraca e rasteira, o que facilitou a a vida dos visitantes. Com maior domínio no segundo tempo, a equipe de Cuca pouco conseguiu criar oportunidades de perigo. Alecsandro mal participava do jogo. Mais tímido e fechado que na etapa inicial, o Atlético-PR se destinou a aprovitar os contra-ataques para tentar sair na frente.

Buscando dar ainda mais velocidade ao time, Cuca colocou Neto Berola em campo, mas o camisa 25 foi responsável mesmo por dar um lançamento primoroso à Bernard. A bola rasteira cruzou toda a intermediária chegando ao Bambino que, de perna esquerda, estufou as redes. Na comemoração, Bernard tirou a camisa, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Por ironia, começava ali o castigo para os donos da casa.

Nos cinco minutos finais, o Atlético-PR virou a partida com uma velocidade digna de furacão. Aos 40, a jogada de Zezinho sobra para Everton, que chuta cruzado e empata o jogo. Dois minutos mais tarde, Zezinho faz outra bela jogada, agora pela esquerda, e cruza para Éderson, no primeira trave, se adiantar e decretar a virada.

Ainda houve tempo para Alecsandro carimbar a trave e Tardelli marcar um gol, anulado pela arbitragem. Com Victor jogando de atacante, o Galo ainda tentou sua última jogada aos 49 minutos de jogo, mas não deu. O xará do Paraná se torna o primeiro time a visitar o Horto e derrotar os mineiros dentro do novo Independência.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 2 ATLÉTICO-PR
Local: Independência, Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 31/7/2013 - 19h30
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Auxiliares: Alberto Poletto (SP) e Vanderson Antônio Zenotti (ES)
GOLS:  Bernard, 34' 2ºT (1-0), Everton, 40' 2ºT(1-1) e Éderson, 42' 2ºT(1-2)
Cartões amarelos:  Bernard, Leonardo Silva  e Diego Tardelli (CAM) e Bruno Silva (CAP)
Cartões vermelhos:  Bernard (CAM)
Público/Renda: 14.913 presentes / R$ 689.830,00

Atlético-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Rever e Junior César; Pierre (Michel, intervalo) e Josué; Bernard, Diego Tardelli, Luan (Neto Berola, 28'2ºT) e Jô (Alecsandro, 40'1ºT). Técnico: Cuca

Atlético-PR: Weverton, Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Juninho, Bruno Silva, Everton e Elias (Felipe, 27'2ºT); Marcelo e Dellatorre (Éderson, 31'2ºT). Técnico: Vágner Mancini