icons.title signature.placeholder Roberto Assaf
15/11/2014
08:00

Após cinco anos de hegemonia absoluta do Cruzeiro, de 1965 a 1969, o Atlético enfim reagiu, conquistando a edição inaugural da Taça Belo Horizonte e o Mineiro, ambos em 1970. Na rasteira do sucesso do tri mundial conquistado pelo Brasil, a FMF organizou um campeonato com 28 clubes, 12 na fase final, e o Galo, que somou mais pontos, saiu vencedor, tendo Dario como artilheiro, com 16 gols. E ainda fechou o ano sem perder do rival, somando duas vitórias e quatro empates.

O América voltou a dar o ar de sua graça, ganhando o título regional de 1971, mas o Atlético, naquele ano, foi além, ganhando não só o bi da Taça Belo Horizonte, mas principalmente o campeonato que a CBF considerava até 2010 como o primeiro Brasileiro da história, após triangular final contra Botafogo-RJ e São Paulo-SP, sob o comando de Telê Santana, um dos técnicos mais importantes da história do nosso futebol. O jogo do título aconteceu em 18 de dezembro de 1971, no Maracanã, com um gol dele, Dario. O Galo também faturou a Taça BH em 1971 e 1972.

Mas o Cruzeiro retomou a liderança regional, levantando o tetra de Minas, de 1972 a 1975, derrotando o Atlético em três decisões. Em 1972, com vitória de 2 a 1. Em 1974, repetindo o resultado, diante de 109.363 espectadores. E em 1975, com triunfo de 1 a 0, gol de Palhinha. Em 1973, a FMF extinguiu a Taça BH e criou a Taça Minas Gerais, disputada com a presença dos dois gigantes regularmente até 1987. De 1973 a 1977, à parte do campeonato. De 1979 a 1987, como primeiro turno do Mineiro. Ao fim de tanto tempo, os títulos ficaram divididos: o Cruzeiro ganhou em 1973, 1982, 1983, 1984 e 1985. E o Galo em 1975, 1976, 1979, 1986 e 1987. Daí em diante, a Taça MG ficou restrita aos clubes pequenos da capital e os do interior. No próximo capítulo, após este breve parênteses, voltamos à primeira metade da década de 1970.