icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
12/11/2014
12:56

Atlético-MG e Cruzeiro fazem a prévia o clássico mais importante de suas histórias nesta quarta-feira, às 22h, no Estádio Independência. A partida de ida da decisão da Copa do Brasil é um incremento da finalíssima, marcada para o dia 26 de novembro, no Mineirão.

Os dias que antecederam o primeiro embate foram marcados por uma polêmica extracampo. Alexandre Kalil e Gilvan de Pinho Tavares protagonizaram discussões pela imprensa devido à definição de ter duas torcidas nos estádios. A conclusão da história é que, no primeiro duelo, não haverá torcida visitante, enquanto o segundo segue em aberto.

Dentro de campo, a história é outra. Embora prevaleça a máxima de que em clássicos não tem favorito, o Independência pode ser um dos ingredientes a mais para o Atlético sair de campo vencedor nesta finalíssima contra o Cruzeiro. Pela primeira vez na Copa do Brasil, o Galo é quem irá começar um mata-mata como mandante. E para sair do Horto com um resultado favorável, o time alvinegro se apoia na força de sua torcida e no histórico de nunca ter perdido para o rival dentro do estádio.

– O Independência tira o conforto deles (Cruzeiro) jogando fora do Mineirão. Nós estamos acostumados a jogar no Mineirão, mas o caso do Cruzeiro é diferente, jogar contra a nossa torcida no Independência e com a gente. Se fosse os dois jogos no Mineirão, talvez fosse outro jogo, outro palpite, mas jogar no Horto é diferente, nos deixa mais a vontade - falou Diego Tardelli.

Uma das maiores inspirações no lado atleticano é na final mineira de 2013. O primeiro jogo da decisão estadual aconteceu no Horto e o Galo apenas encaminhou a chegada da taça diante do seu torcedor. Os 3 a 0 na primeira partida foram mais que suficientes para que a equipe alvinegra colocasse as mãos na taça. Desta vez, o time não quer fazer diferente e, ao menos, sair vencedor dos primeiros 90 minutos do duelo.


Everton Ribeiro é a esperança celeste contra o Galo (Foto: Gil Leonardi/LANCE!Press)

– Quando a torcida se junta com o time, os jogadores incorporam alguma coisa diferente. Precisamos inverter situações difíceis, mas agora começamos em casa, diante da nossas torcida. Levar a decisão para lá é importante, a nossa casa é o Horto. Não podemos vacilar, vamos descansar o máximo porque o bicho vai pegar - foram as palavras de Luan, maior destaque do Galo até aqui na Copa do Brasil.

O Cruzeiro entra em campo motivado por uma Tríplice Coroa. Campeão mineiro, o time comandado por Marcelo Oliveira é líder do Brasileirão, com cinco pontos de vantagem para o segundo colocado, e segue em condições de vencer a Copa do Brasil.

Embora tenha adotado o mistério na véspera do clássico e tenha optado por comandar um trabalho recreativo, o treinador cruzeirense tem somente uma dúvida na escalação. Quem será o substituto de Dedé, com uma entorse no joelho direito? Bruno Rodrigo e Manoel disputam a posição. No jogo do fim de semana, Bruno foi o titular.


Tardelli marcou contra o Cruzeiro pelo Brasileirão (Foto: Ramon Bitencourt/ LANCE!Press)

O restante da equipe será o mesmo. A defesa contará com Fábio, Mayke, Léo e Egídio. O lateral-esquerdo sofreu uma pancada no quadril, mas reúne condições de atuar diante do arquirrival.

A composição defensiva do Cruzeiro no meio de campo terá Henrique e Lucas Silva, suspenso do jogo de domingo, contra o Criciúma. Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart completam a meiúca.

Marcelo Moreno é unanimidade no ataque. Recuperado de uma fissura na costela e de uma pubalgia, Willian faz jus ao apelido Bigode Grosso e completa a linha de frente do atual campeão nacional.

FICHA TÉCNICA

Local: Independência, em Belo Horizonte
Data-hora: 12/11/2014 – às 22h
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Rodrigo Henrique Correa (RJ)

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Josué, Luan e Dátolo; Maicosuel, Diego Tardelli e Carlos. Técnico: Levir Culpi.

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo (Manoel), Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian e Marcelo Moreno: Técnico: Marcelo Oliveira.