icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
28/07/2013
15:28

Quem chegou ao Mineirão algumas horas antes de Cruzeiro e Atlético-MG se enfrentarem na nona rodada do Campeonato Brasileiro viu vários torcedores da Raposa indo em direção ao estádio via Abrahão Caram, sendo que a avenida é via de acesso exclusivo da torcida do Galo, segundo normas da segurança pública.

Com isso, houve a convivência entre atleticanos e cruzeirenses em pontos comuns do lado de fora do estádio. No começo, com pouca gente, o clima era tranquilo, sem provocações ou ameaças de distúrbio à ordem. Porém, há relatos de que houveram xingamentos de um lado para o outro e até mesmo princípios de brigas.

- Houve problemas no Peixe (local de encontro de atleticanos no Mineirão). Tem muito atleticano e cruzeirense misturados lá. Acho que falta policiamento, porque a torcida do Atlético está em menor número (cerca de 6 mil ingressos destinados ao Galo) e estamos tendo que passar no mesmo local de cruzeirenses - disse o alvinegro Henri Tadeu, de 37 anos.

No Estádio, a divisão da torcida do Galo repetiu o mesmo esquema do clássico que finalizou o Campeonato Mineiro. Na parte inferior, as cordas da PM foram as divisórias para que as torcidas gritassem em pró de seu time. Os atleticanos gritavam 'É campeão'. E a torcida do Cruzeiro devolvia: 'Bicampeão'.

Quem chegou ao Mineirão algumas horas antes de Cruzeiro e Atlético-MG se enfrentarem na nona rodada do Campeonato Brasileiro viu vários torcedores da Raposa indo em direção ao estádio via Abrahão Caram, sendo que a avenida é via de acesso exclusivo da torcida do Galo, segundo normas da segurança pública.

Com isso, houve a convivência entre atleticanos e cruzeirenses em pontos comuns do lado de fora do estádio. No começo, com pouca gente, o clima era tranquilo, sem provocações ou ameaças de distúrbio à ordem. Porém, há relatos de que houveram xingamentos de um lado para o outro e até mesmo princípios de brigas.

- Houve problemas no Peixe (local de encontro de atleticanos no Mineirão). Tem muito atleticano e cruzeirense misturados lá. Acho que falta policiamento, porque a torcida do Atlético está em menor número (cerca de 6 mil ingressos destinados ao Galo) e estamos tendo que passar no mesmo local de cruzeirenses - disse o alvinegro Henri Tadeu, de 37 anos.

No Estádio, a divisão da torcida do Galo repetiu o mesmo esquema do clássico que finalizou o Campeonato Mineiro. Na parte inferior, as cordas da PM foram as divisórias para que as torcidas gritassem em pró de seu time. Os atleticanos gritavam 'É campeão'. E a torcida do Cruzeiro devolvia: 'Bicampeão'.