icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
11/03/2014
08:11

Virar nadador para viajar o mundo. Esse é o caso de Jemal Le Grand, da natação de Aruba nos Jogos Sul-Americanos do Chile. Ao contrário da maioria das crianças e jovens que sonham em ser esportistas por gostarem de uma modalidade, seguirem os passos de seus ídolos e ficarem famosos, o atleta não tinha a menor vontade de nadar. Mas escolheu o esse eporte por um conselho da mãe.

– Nunca gostei de nadar. Na verdade. gostava de jogar tênis, mas minha mãe falou que na natação eu poderia ir para lugares diferentes, poderia ter mais possibilidades de viajar pelo mundo. Então, tentei. Agora, sou um nadador – afirmou o esportista ao LANCE!Net.

Le Grand nãoteve resultados tão bons nos Jogos. Disputou os 50m, os 100m e os 200m livre e queria estar pelo menos em uma final. Não passou das eliminatórias. Mas pelos menos conheceu outro país.

Anteriormente, o nadador já esteve em Barcelona (ESP), Istambul (TUR) e Londres (ING). E o principal objetivo agora é desembarcar no Rio de Janeiro, em 2016. Após disputar a última Olimpíada como convidado, ele sonha em se tornar o primeiro do país a se classificar para os Jogos Olímpicos durante sem precisar receber um convite.

Atualmente, o atleta mora e treina nos Estados Unidos. Como a natação não é muito popular em Aruba, ele decidiu se aprimorar seu nado e manter os estudos em outro lugar. Aos 19 anos, ele acabou de entrar na universidade.

– Vivia em Aruba, mas há três anos me mudei para os Estados Unidos, porque em meu país não existem muitos lugares para treinar. Mudei para ter uma chance maior na natação e por causa da minha educação. Fiz o colégio em Fort Lauderdale e esse ano é meu primeiro universitário. Vou estudar na Universidade da Flórida. Está sendo muito bom. É meu primerio ano, então o estudo é mais geral. Mas vou fazer relações internacionais – explicou o nadador.

Le Grand é o principal nadador do país. E foi o único representante da modalidade nos Jogos. Aruba tem dez atletas na disputa.

Sem um único ouro

Aruba está em sua sexta participação nos Jogoos Sul-Americanos. E o país é o único que nunca conquistou uma medalha de ouro. Em um total de dez edições da competição, 15 nações já tiveram a oportunidade de disputar o torneio.

Aruba esteve presente pela primeira vez em 1994. Desde então, nunca mais saiu. Entre as conquistas, são duas pratas e 12 bronzes.

Em 2014, após quatro dia de competições, o país segue zerado.

– Na natação, nunca conseguimos nem uma medalha de bronze – afirmou Jemal Le Grand.

Vale lembrar que Aruba está com dez competidores nos Jogos Sul-Americanos deste ano. Boliche e vôlei de praia, com dois cada, são as modalidades com mais participantes. E só há uma mulher.

O NADADOR NOS JOGOS SUL-AMERICANOS

200m livre
Foi a primeira prova disputada por Jemal Le Grand nos Jogos Sul-Americanos deste ano. Não passou da eliminatória e terminou na 11 posição (total de 16), com 1m55s98.

50m livre
Também foi eliminado logo na fase eliminatória. Obteve o 17 tempo (total de 21), com 24s56. O brasileiro Bruno Fratus venceu, com 22s40 na decisão.

100m livre
Foi sua última prova nos Jogos, ontem. Assim como nas outras ocasiões, não passou da eliminatória, ao marcar 52s49 (16 lugar, de 22 atletas).Bate-Bola

CONFIRA UM BATE-BOLA COM JEMAL LE GRAND:

LANCE!Net: O que representa disputar os Jogos Sul-Americanos para você?
Jemal Le Grand: A competição é muito forte, tem atletas que participaram da Olimpíada, chegaram em semifinais e finais. É um campeonato com uma qualidade grande. Esse torneio é apenas o começo do ano para mim. É bom para ver como estou para os proximos campeonatos

L!Net: O quanto seus resultados melhoraram com sua mudança para morar nos Estados Unidos?
JL: Antes de mudar para os Estados Unidos, meu tempo nos 100m livre era 52s8. Um ano depois, melhorei meu tempo e fiz 51s8. Nos 200m livre, também. Foi de 1m45 para 1m38. A melhora é muito grande.

L!Net: Quais são os esportes mais populares em Aruba?
JL: Em Aruba, tem alguns esportes que são populares, como o beisebol. Temos uma Copa do Mundo júnior, além de um atleta que joga na Major League Beisebol, no Boston Red Sox. O segundo esporte é o futebol. Então, a natação não está entre os primeiros, mas está crescendo.

L!Net: Sonha em disputar a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro?
JL: Quero estar no Brasil em 2016, esse é o meu principal objetivo. Em Aruba, nunca tivemos algum nadador que se classificou para a Olimpíada no classificatório. Sempre entrou com algum convite. Esse é meu sonho desde quando comecei a nadar. Quero ser o primeiro nadador do meu país a conseguir se classificar para a Olimpíada.

L!Net: Você disse que jogava tênis e não gostava de natação. Mas desde quando passou a praticar?
JL: Comecei a nadar competitivamente com seis anos. Mas não gostava. Então, passei a treinar mesmo com 12 anos, sete anos atrás.

*O repórter viaja a convite do COB