icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena e Thiago Ferri
25/07/2014
08:07

Se Louis Van Gaal, técnico da Holanda, virou referência por ter usado todos os seus 23 convocados nos sete jogos da Copa, os primeiros passos de Ricardo Gareca no Palmeiras vão na mesma linha: em três jogos, mandou a campo 24 dos 37 jogadores do elenco.

Conhecido no Vélez Sarsfield (ARG), seu ex-clube, por apostar nas categorias de base, o argentino já promoveu a estreia de três garotos: o zagueiro Gabriel Dias, o meia Eduardo Júnior e o atacante Érik. O lateral-direito Léo Cunha deve ser o próximo a ganhar chance, seguido por Mateus Muller, lateral-esquerdo que está lesionado.

Destaque também para as frequentes variações. Na estreia, Gareca escalou três volantes e perdeu por 2 a 0 para o Santos, com fraca atuação. Mudou para três atacantes contra o Cruzeiro e conheceu nova derrota, esta por 2 a 1, mas melhorou muito o desempenho ao colocar um meia (Felipe Menezes) no lugar de um volante (Eguren, machucado) ainda no primeiro tempo - terminou com quatro atacantes. Optou novamente pelo 4-3-3 na vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, com vários reservas, mas os gols saíram com o 4-4-2, com Bruno César no lugar de Leandro.


Nos coletivos, frequentemente parados por El Tigre, há quem fique fora até do time reserva em um dia e no outro esteja entre os 11. Já aconteceu com Bruno César e com Marquinhos Gabriel, que já foi vendido.

O técnico diz estar ciente da importância do clássico de domingo, contra o Corinthians, e mandará a campo o que julga ter de melhor. Hoje, porém, não é possível dizer quem são os 11 preferidos do argentino.

- Não é um problema para mim. É melhor quando todos os jogadores estão bem. Sei que temos muitos bons jogadores e todos têm de evoluir no Palmeiras - disse ele, que tem se mostrado diferente da maioria dos técnicos brasileiros em alguns aspectos, sobretudo na atenção dispensada aos atletas que não jogam.

Quem fica no banco também sua a camisa. Depois dos jogos, os reservas fazem cerca de uma hora de atividades físicas, inclusive com bola. Depois da vitória de quarta, em Florianópolis, Gareca voltou ao campo para supervisionar a movimentação e conversar com membros da comissão sobre fatos que não agradaram.

É o estilo Ricardo "Van" Gareca.

Van Gaal na Copa:
O técnico Louis Van Gaal, da Holanda, chamou a atenção na Copa por ter utilizado todos os  convocados. Nas quartas, contra a Costa Rica, já eram 21: ele colocou Tim Krull, o terceiro goleiro, nos minutos finais da prorrogação, especificamente para os pênaltis. Na semi contra a Argentina, usou o 22 atleta, Clasie, que entrou durante a partida. Na disputa do 3 lugar contra o Brasil pôs o goleiro Vorm e completou 23.

Os 24 utilizados e o número de minutos em campo:

Fábio - 270
Wendel - 180
Tobio - 180
Wellington - 180
Marcelo Oliveira - 180
Renato - 180
Wesley - 180
Diogo - 180
Henrique - 180
Josimar - 139
Leandro - 138
Felipe Menezes - 134
Mouche - 116
Mendieta - 106
Bruno César - 95
William Matheus - 90
Victor Luis  - 90
Weldinho - 90
Lúcio - 90
Érik - 40
Eguren - 32
Mazinho - 14
Eduardo Júnior - 12
Gabriel Dias - 10

Santos 2 x 0 Palmeiras
Fábio; Wendel, Tobio, Wellington e Marcelo Oliveira; Josimar (Mendieta aos 14'/2ºT), Renato, Wesley e Bruno César (Érik aos 20'/2ºT); Diogo e Leandro (Eduardo Júnior aos 33'2ºT).

Palmeiras 1 x 2 Cruzeiro
Fábio; Wendel, Lúcio, Tobio e William Matheus; Eguren (Felipe Menezes, 32'/1ºT), Renato e Mendieta (Érik, 30'/2ºT); Leandro (Mouche, 19'/2ºT), Diogo e Henrique.

Avaí 0 x 2 Palmeiras
Fábio; Weldinho, Wellington, Marcelo Oliveira e William Matheus; Josimar (Gabriel Dias 35’/2º T), Wesley, Felipe Menezes (Mazinho 31’/2º T) ; Leandro (Bruno César 15’/2º T), Mouche e Henrique.