icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
18/06/2014
17:33

Mariano Andújar e Agustín Orion, os goleiros reservas da seleção argentina, não são nenhuma atração entre os 23 convocados. Nesta quarta-feira, porém, a dupla foi escolhida para conceder entrevista coletiva na Cidade do Galo. E, como não poderia ser diferente, falaram da questão polêmica da equipe titular e sistema de jogo que devem ser escolhidos pelo técnico Alejandro Sabella.

Apesar de 'peixes pequenos', ambos deram respaldo a Lionel Messi, que reclamou do sistema 5-3-2 imposto pelo treinador no início do jogo contra a Bósnia e, posteriormente, pediu a volta do 4-3-3, com quatro homens ofensivos (ele, Dí Maria, Higuaín e Aguero).

- Está claro que nossa melhor versão é essa, o 4-3-3. Sabemos que o Alejandro (Sabella) olha muito os rivais (para escolher como jogará), mas não creio que nossos esquemas estão marcados pelos rivais - afirmou Andújar.

- Não acredito que houve um desrespeito ao treinador, ele (Messi) apenas deu sua opinião. O bom é que demonstramos que podemos passar de um esquema para outro sem problemas. Sempre haverá coisas boas e ruins - completou.

Como não poderia ser diferente, Mariano Andújar e Agustín Orion falaram sobre o titular da equipe. Para os dois goleiros, Romero tem muita qualidade, pode fazer um grande Mundial e contará sempre com o diálogo e ajuda deles.

- Estamos sempre tratando de corrigir com Romero situações pequenas em jogos e treinamentos. (...) Às vezes ele olha para o banco, nos busca, conversamos no intervalo. Nós todos temos autocrítica, falamos entre nós porque o posto de goleiro é muito particular. Se nos potencializamos, na hora do jogo sairá da melhor maneira - explicou Orion, titular do Boca Juniors.

- Esse diálogo nos força a melhorar. Dou minhas opiniões a ele quando acho que há algo mal, ele pode dar a mim, podemos nos corrigir, melhorar. Temos uma boa relação - afirmou Andújar, reserva imediato de Romero.