icons.title signature.placeholder Craque do Futuro
icons.title signature.placeholder Craque do Futuro
29/07/2013
15:02

O atacante Agostinho Soares Nconco, de 23 anos, foi contratado e apresentado pelo Bagé-RS na quarta-feira. Mas tão rápida quanto a transferência de Nconco poderá ser o fim da união entre o africano e o time gaúcho. Apenas dois dias depois da apresentação, o jogador de Guiné Bissau teve de ser liberado para voltar ao seu país de origem por conta de irregularidade com seu visto de trabalho.

A volta do atacante não é descartada pelo clube, mas a diretoria reconhece a situação difícil em relação ao africano. Presidente do Bagé, Marco Aurélio Egas esclareceu sobre a possibilidade de o jogador voltar ao time de Bagé.

- Pode ser rápido, como demorar semanas [o processo de visto]. Requer muita burocracia. Dessa forma, ele foi liberado, mas poderá retornar caso seja liberado para jogar – disse o presidente ao Jornal Minuano.

Para ser regularizado, o atacante terá de conseguir a autorização para sua renovação do visto de trabalho em Brasília, caso contrário, terá de voltar à Guine Bissau. Outro complicador para o Bagé é o interesse de um clube do futebol português no jogador.

O atacante Agostinho Soares Nconco, de 23 anos, foi contratado e apresentado pelo Bagé-RS na quarta-feira. Mas tão rápida quanto a transferência de Nconco poderá ser o fim da união entre o africano e o time gaúcho. Apenas dois dias depois da apresentação, o jogador de Guiné Bissau teve de ser liberado para voltar ao seu país de origem por conta de irregularidade com seu visto de trabalho.

A volta do atacante não é descartada pelo clube, mas a diretoria reconhece a situação difícil em relação ao africano. Presidente do Bagé, Marco Aurélio Egas esclareceu sobre a possibilidade de o jogador voltar ao time de Bagé.

- Pode ser rápido, como demorar semanas [o processo de visto]. Requer muita burocracia. Dessa forma, ele foi liberado, mas poderá retornar caso seja liberado para jogar – disse o presidente ao Jornal Minuano.

Para ser regularizado, o atacante terá de conseguir a autorização para sua renovação do visto de trabalho em Brasília, caso contrário, terá de voltar à Guine Bissau. Outro complicador para o Bagé é o interesse de um clube do futebol português no jogador.