icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/07/2013
17:55

O chute no rosto levado pelo atacante Jheimy, do Oeste, na vitória sobre o Icasa por 3 a 0, nesta terça-feira, pela Série B, por pouco não teve consequências graves para o futuro do atleta. Segundo ele, a voadora do zagueiro Bruno poderia ter tirado sua visão.

- Como tava por cima, pensei que ele ia de cabeça. Eu até entenderia se o choque fosse com a cabeça de Bruno, mas uma bola no alto, vir daquele jeito, não tem condições. Por um milímeto não fiquei cego - disse Jheimy.

Apesar de estar enxergando bem, o atacante não consegue mexer o maxilar e se alimenta com líquidos. Ele passará por uma cirurgia no rosto, neste fim de semana, e terá que ficar de 30 a 45 dias sem jogar.

Quanto ao zagueiro Bruno, responsável pela voadora, Jheimy afirma que não tem mágoa e já o perdoou.

- No futebol acontece dessas coisas. Do jeito que tô, acho que tá bom. Podia ser pior. É coisa que todo mundo tá sujeito, não vou ficar zangado - garantiu.

O chute no rosto levado pelo atacante Jheimy, do Oeste, na vitória sobre o Icasa por 3 a 0, nesta terça-feira, pela Série B, por pouco não teve consequências graves para o futuro do atleta. Segundo ele, a voadora do zagueiro Bruno poderia ter tirado sua visão.

- Como tava por cima, pensei que ele ia de cabeça. Eu até entenderia se o choque fosse com a cabeça de Bruno, mas uma bola no alto, vir daquele jeito, não tem condições. Por um milímeto não fiquei cego - disse Jheimy.

Apesar de estar enxergando bem, o atacante não consegue mexer o maxilar e se alimenta com líquidos. Ele passará por uma cirurgia no rosto, neste fim de semana, e terá que ficar de 30 a 45 dias sem jogar.

Quanto ao zagueiro Bruno, responsável pela voadora, Jheimy afirma que não tem mágoa e já o perdoou.

- No futebol acontece dessas coisas. Do jeito que tô, acho que tá bom. Podia ser pior. É coisa que todo mundo tá sujeito, não vou ficar zangado - garantiu.