icons.title signature.placeholder Russel Dias
25/06/2014
06:03

Sem o CT Rei Pelé e a Vila Belmiro, cedidos à Fifa para as seleções do México e da Costa Rica, respectivamente, os planos da diretoria do Santos era   fazer uma viagem internacional, assim como alguns de seus rivais. Porém, a solução foi um caminho mais curto, cerca de duas horas da cidade praiana: São José dos Campos.

Conforme a reportagem do LANCE!Net apurou, a vontade do Comitê de Gestão no início era de fazer uma viagem para a Índia, mas a empresa americana que intermediava a negociação não conseguiu confirmar a participação do Peixe em um torneio no país, e recuou.

Desta forma, a solução foi buscada às vésperas da viagem para o Vale do Paraíba, e decidida no período de férias dos jogadores.

A intenção da excursão fora do país vai de encontro a uma estratégia de marketing  em busca de levar o nome do Santos para outros países.  No momento, o São Paulo e o Atlético-MG estão nos Estados Unidos, e o  Cruzeiro  treina na China. 

A última vez que o Peixe jogou uma partida fora do país foi em agosto do ano passado,  na derrota de 8 a 0 para o Barcelona, válido pelo Troféu Joan Gamper, na cidade catalã. O jogo foi um acordo feito com os espanhóis após a venda de Neymar.

A prática no clube acontece desde 1959, quando o Santos de Pelé foi para a Europa, visitou nove países e participou de mais de 20 jogos. O Peixe trouxe para casa o Troféu Teresa Herrera e o Torneio de Valência, o que ajudou o time a chegar mais conhecido nos Mundiais de  62 e  63.

Procurado, o superintendente de esportes do Santos, André Zanotta, afirmou por meio da assessoria de imprensa que no momento ainda não tem nada que possa acrescentar a respeito, e que   continua em negociações para uma viagem no futuro. Em sua última entrevista ao L!, ele afirmou que a opção por São José dos Campos (SP), no estádio Martins Pereira, foi a que melhor apareceu.