icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
12/07/2014
07:57

Müller. É como surgir no futebol brasileiro se chamando Pelé, Zico, Romário... Em 2010, o garoto Thomas, de 20 anos, era apenas um meia promissor na Alemanha com o sobrenome do lendário Gerd. Em um amistoso diante da Argentina de Messi, mesmos adversários da final da Copa amanhã, às 16h, no Maracanã, ele iniciou sua trajetória na seleção. A partir dali, Müller começaria a ser mais que uma coincidência no nome...

Meses depois, na Copa de 2010, lá estava o jovem do Bayern de Munique. Mesmo clube pelo qual seu ídolo havia aparecido para o mundo. Com a mesma camisa 13 que ele assumiu. O meia fez cinco gols e terminou a edição como artilheiro, ao lado de Forlán e Sneijder. Ganhou o prêmio de revelação do torneio. E recebeu elogios do original.

– Thomas é um cara como eu. Faz o que eu fazia no passado – afirmou Gerd Müller, na ocasião.

Quarenta anos antes, na Copa de 1970, o lendário Gerd havia feito dez gols no México e terminou como artilheiro da competição. Mas quem levou o título foi o Brasil de Pelé. No Mundial seguinte, em 1974, na Alemanha, sagrou-se campeão, com um gol na final contra a poderosa Holanda de Cruyff. Terminou com quatro gols e como o maior artilheiro da história. Já era conhecido como “Der Bomber”, pelo “bombardeio” de gols.

Amanhã, Müller pode repetir seus passos. Como revelação e realidade do Bayern, artilheiro da Copa anterior, com a camisa 13 nas costas e com o faro de artilheiro apurado. Em 12 partidas em Copas, somando as duas, ele já tem 10 gols. Está apenas a quatro de Gerd Mül-ler, que tem 14 e foi ultrapassado por Ronaldo, em 2006 (chegou a 15) e, agora, Klose, que fez dois na atual edição e é o maior de todos os tempos, com 16. Mas o novo Müller é novo, só 24 anos e ainda mais, quem sabe, três Copas pela frente.

Neste Mundial, o meia da Alemanha tem cinco gols, um a menos que o colombiano James Rodríguez. Na história das Copas, nunca nenhum jogador foi artilheiro por duas Copas seguidas. Nada que seja muito difícil para, talvez, um novo lendário Müller na Alemanha.

BATE-BOLA: Müller

‘Meus objetivos andam de mãos dadas na final’

Você tem o sonho de ser o artilheiro desta Copa também?

- É uma ambição. Uma coisa anda de mãos dadas com a outra. Se eu fizer um gol, vou ajudar minha equipe a ficar mais perto de conquistar o título. Mas claro que o mais importante é ser campeão do mundo neste momento.

Você já disputou finais de Liga, Mundial de Clubes... Como se sente nesta final de Copa?

- Esse é o estágio mais importante para o jogador, é o maior jogo que você pode disputar. Copa só tem a cada quatro anos, é importante, muito mais do que qualquer campeonato.

Vocês se mostraram encantados com o Rio e o Maracanã nas quartas de final contra a França...

Quando fomos, tínhamos um motivo especial para querer voltar. O Maracanã tem sua história. Quando você pensa nas histórias dos anos 50, 60, 70, é um lugar sagrado para qualquer pessoa do futebol. Vejo o lugar ideal para levantar a taça.

O COMEÇO

Müller fez sua estreia pela seleção da Alemanha em março de 2010, em um amistoso diante da Argentina, em Munique. Revelação do Bayern e cara nova no grupo, ele foi escolhido para a coletiva antes da partida. Então técnico da seleção argentina, Diego Maradona fez cena porque não ficaria sentado na mesma bancada que um “gandula”, confundindo o meia, que estava com um casaco da Adidas, da seleção alemã.

Müller fez sua estreia naquele jogo, que terminou com vitória hermana por 1 a 0. Meses mais tarde, ele apareceu novamente para Maradona, desta vez abrindo o placar na goleada por 4 a 0 pelas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.

Agora, vai reencontrar Messi. No geral, são três vitórias contra duas do argentino, mas o placar é 3 a 0 se considerados apenas os jogos oficiais

– Já encontrei o Messi algumas vezes. Meu saldo é positivo, acho que nunca perdi. Perdi? Ah, foram amistosos. Nunca perdi um jogo oficial. Temos que anulá-lo, tentar evitar que a bola chegue nele – disse.

MÜLLER X MESSI

3/3/2010
Alemanha 0x1 Argentina.
Jogo amistoso
......................

3/7/2010
Alemanha 4 x 0 Argentina.
Quartas de final da Copa do Mundo (Müller fez um gol)
......................

15/8/2012
Alemanha 1x3 Argentina.
Amistoso (Messi fez um gol)

......................

23/4/2013
Bayern de Munique 4x0 Barcelona.
Semifinal da Liga (Müller fez dois)
......................

1/5/2013
Barcelona 0x3 Bayern de Munique.
Semifinal da Liga (Müller fez um gol)
......................

Gerd... e Thomas

68

Gols em 62 partidas. Essa é a impressionante marca de Gerd Müller pela seleção alemã. Em Copas, foram 14 gols, em 70 e 74,
sendo dez apenas na primeira. O atacante, cujo faro foi destacado pelo mundo, ainda fez 365 gols em 427 partidas pela Bundesliga, Campeonato Alemão da Primeira Divisão. É considerado o maior atacante da história do país.

10

Gols com apenas 12 jogos em Copas do Mundo. Thomas, que só tem 24 anos, tem média impressionante no torneio e é apontado para desbancar o ídolo, Ronaldo e até mesmo o colega Klose no futuro. Pela seleção alemã, ele marcou 22 gols em 55 jogos. Na Copa, perdeu em 2010 para a Sérvia e, agora já soma dez partidas de invencibilidade.