icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2013
11:48

A parceria entre Luis Fabiano e Dunga deu certo na Seleção Brasileira. Nesta quarta-feira, no estádio do Morumbi, os dois se reencontram pela primeira vez em campo, mas em lados opostos. São Paulo e Internacional fazem o jogo antecipado da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga.

O camisa 9 são-paulino fez 31 jogos na época em que Dunga foi o comandante do escrete canarinho e balançou as redes 22 vezes, tornando-se o artilheiro do período. Contudo, Luis Fabiano deixa a amizade fora de campo e foca um bom resultado para tirar o São Paulo da fase turbulenta.

- Eu passei momentos felizes com o Dunga, mas o Dunga que me perdoe. Não vai ter jeito não - afirmou o jogador, durante entrevista coletiva, visando à vitória no confronto.

O local da partida desta quarta ainda guarda boas lembranças. Foi no Morumbi que Luis Fabiano foi escalado como titular por Dunga e marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 diante do Uruguai. 

Sem vencer há dez jogos - foram oito derrotas e dois empates no período -, o Tricolor pode igualar as piores marcas sem vitória de sua história, que são as 1951 e 1986, quando ficou 11 partidas sem obter um triunfo. Além disso, são sete derrotas seguidas e cinco consecutivas no Morumbi, recordes negativos na história. Para piorar, o Internacional tem o ímpeto elevado, pois pode assumir a liderança do torneio nacional. 

Na última rodada, diante do Cruzeiro, Luis Fabiano foi substituído e a torcida começou a chamá-lo de "pipoqueiro". O artilheiro rejeita o rótulo e afirma que foi mais feliz no Sevilla (ESP), clube em que conquistou vários títulos. Agora, em nova oportunidade diante da torcida e sob olhares de Dunga, tentará fazer jus ao período áureo que viveu.

A parceria entre Luis Fabiano e Dunga deu certo na Seleção Brasileira. Nesta quarta-feira, no estádio do Morumbi, os dois se reencontram pela primeira vez em campo, mas em lados opostos. São Paulo e Internacional fazem o jogo antecipado da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga.

O camisa 9 são-paulino fez 31 jogos na época em que Dunga foi o comandante do escrete canarinho e balançou as redes 22 vezes, tornando-se o artilheiro do período. Contudo, Luis Fabiano deixa a amizade fora de campo e foca um bom resultado para tirar o São Paulo da fase turbulenta.

- Eu passei momentos felizes com o Dunga, mas o Dunga que me perdoe. Não vai ter jeito não - afirmou o jogador, durante entrevista coletiva, visando à vitória no confronto.

O local da partida desta quarta ainda guarda boas lembranças. Foi no Morumbi que Luis Fabiano foi escalado como titular por Dunga e marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 diante do Uruguai. 

Sem vencer há dez jogos - foram oito derrotas e dois empates no período -, o Tricolor pode igualar as piores marcas sem vitória de sua história, que são as 1951 e 1986, quando ficou 11 partidas sem obter um triunfo. Além disso, são sete derrotas seguidas e cinco consecutivas no Morumbi, recordes negativos na história. Para piorar, o Internacional tem o ímpeto elevado, pois pode assumir a liderança do torneio nacional. 

Na última rodada, diante do Cruzeiro, Luis Fabiano foi substituído e a torcida começou a chamá-lo de "pipoqueiro". O artilheiro rejeita o rótulo e afirma que foi mais feliz no Sevilla (ESP), clube em que conquistou vários títulos. Agora, em nova oportunidade diante da torcida e sob olhares de Dunga, tentará fazer jus ao período áureo que viveu.