icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
20/03/2014
07:38

Apesar da passagem de sucesso pelo Olimpia (PAR), o atacante Ferreyra ficou conhecido no Brasil pelo escorregão, depois de passar pelo goleiro Victor, na prorrogação da final da Copa Libertadores do ano passado, contra o Atlético-MG. Para muitos, um indício de que ele treme nas horas decisivas. Mas a cada dia que passa, El Tanque mostra que a queda no gramado do Mineirão foi um acaso e que, na hora H, ele é, sim, letal.

Artilheiro do Botafogo em 2014, com cinco gols, o argentino tem se especializado em fazer gols importantes. O de terça-feira, contra o Independiente del Valle, na vitória por 1 a 0, no Maracanã, entrou na galeria que já contém o primeiro da vitória sobre o San Lorenzo (ARG) por 2 a 0 e o de empate contra o Unión Española (CHI), em jogo que terminou em 1 a 1.

Além desses, Tanque salvou o Glorioso da derrota para o Duque de Caxias, pelo Estadual, com um gol e um pênalti sofrido nos minutos finais do jogo que terminou com vitória, de virada, por 2 a 1.

– É sempre importante para um jogador fazer muitos gols. Ainda mas num torneio que conheço, como a Libertadores. Queremos fazer história e as coisas estão indo bem – afirmou o centroavante.

Ferreyra chegou a General Severiano com status de novo dono da camisa 9, mas demorou a engrenar e chegou a ouvir vaias das arquibancadas. Agora, depois de mais um gol decisivo, foi aplaudido e teve o nome gritado. O novo artilheiro acredita que o apoio é consequência da boa fase.

– Logicamente que, quando as coisas saem bem, a torcida pega mais carinho por você. E isso é muito bom. Vou trabalhar forte no dia a dia para que as coisas saiam bem na hora do jogo.

Torcedor faz funk para El Tanque