icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/07/2013
15:07

Com apenas nove rodadas do Campeonato Brasileiro, o argentino Maxi Biancucchi, do Vitória, e o uruguaio Diego Forlán, do Internacional, já se mostram candidatos a entrar num rol muito seleto: o dos artilheiros estrangeiros na Série A. Se conseguirem manter a boa fase,a dupla pode alcançar o feito do uruguaio Pedro Rocha, em 1972. Na ocasião, o jogador do São Paulo marcou 17 gols, dividindo a artilharia do Brasileirão com Dadá Maravilha, do Atlético-MG.

Apesar de estrangeiros não serem tão bem-sucedidos no Brasil, a presença de um jogador de fora na artilharia é comum na Europa. Das nove principais ligas do Velho Continente, apenas duas tiveram artilheiros "caseiros" em 102: Alemanha e Turquia. Em Inglaterra, Espanha, Itália, França, Portugal, Holanda e Rússia foram estrangeiros que mais balançaram as redes.

A presença de Maxi com seis gols, e Forlán, com cinco, na ponta da artilharia se deve, principalmente, ao aumento do número de jogadores estrangeiros - sobretudo sul-americanos - no brasil nos últimos anos. Mas também há outros fatores.

- O jogador precisa se dedicar e treinar exaustivamente as finalizações. É assim que o Forlán se prepara e consegue ter bons resultados. Isso o diferencia dos demais - disse Paulo Rabello, diretor médico do Internacional, em entrevista ao LANCE!.

A justificativa do colorado é bem parecido com a do técnico do Vitória, Caio Júnior, que apontou Maxi como um dos melhores atacantes do país na atualidade:

- Tenho orgulho em treinar o Maxi, Ele é muito dedicado e sempre ouve as minhas recomendações, Acredito que, com a confiança que ele está, pode manter o ritmo e defender a artilharia até o fim da competição - explicou o comandante sobre o argentino que, entre 2007 e 2009, teve passagem apagada pelo Flamengo.

Além de Maxi e Forlán, o chileno Vargas e o holandês Seedorf, com três gols cada, também estão entre os goleadores da Série A até agora.

Com a palavra:

Roberto Assaf
Colunista do LANCE!

Pedro Rocha, do São Paulo, foi o único artilheiro estrangeiro da história do Brasileiro. O uruguaio marcou 17 gols em 1972, dividindo a façanha com Dario, do Atlético-MG. Nem por isso o campeonato deixou de ter outros gringos de destaque do meio do campo para frente. Sim, pois se vocês não sabem, é de 37 o total de forasteiros que conquistaram o título, da Taça Brasil de 1959 ao Brasileiro de 2012. Dos campeões, vale lembrar os argentinos Madurga (Palmeiras 72), Tevez (Corinthians 05) e Conca (Fluminense 10), os colombianos Rincon (Corinthians 98 e 99) e Aristizabal (Cruzeiro 03), o paraguaio Romerito (Fluminense 84) e o sérvio Petkovic (Flamengo 09). Mas Maxi, Forlan, Seedorf e Vargas, que já brigam pela artilharia de 2013, todos têm chances de repetir o Pedro Rocha de 1972.

Com apenas nove rodadas do Campeonato Brasileiro, o argentino Maxi Biancucchi, do Vitória, e o uruguaio Diego Forlán, do Internacional, já se mostram candidatos a entrar num rol muito seleto: o dos artilheiros estrangeiros na Série A. Se conseguirem manter a boa fase,a dupla pode alcançar o feito do uruguaio Pedro Rocha, em 1972. Na ocasião, o jogador do São Paulo marcou 17 gols, dividindo a artilharia do Brasileirão com Dadá Maravilha, do Atlético-MG.

Apesar de estrangeiros não serem tão bem-sucedidos no Brasil, a presença de um jogador de fora na artilharia é comum na Europa. Das nove principais ligas do Velho Continente, apenas duas tiveram artilheiros "caseiros" em 102: Alemanha e Turquia. Em Inglaterra, Espanha, Itália, França, Portugal, Holanda e Rússia foram estrangeiros que mais balançaram as redes.

A presença de Maxi com seis gols, e Forlán, com cinco, na ponta da artilharia se deve, principalmente, ao aumento do número de jogadores estrangeiros - sobretudo sul-americanos - no brasil nos últimos anos. Mas também há outros fatores.

- O jogador precisa se dedicar e treinar exaustivamente as finalizações. É assim que o Forlán se prepara e consegue ter bons resultados. Isso o diferencia dos demais - disse Paulo Rabello, diretor médico do Internacional, em entrevista ao LANCE!.

A justificativa do colorado é bem parecido com a do técnico do Vitória, Caio Júnior, que apontou Maxi como um dos melhores atacantes do país na atualidade:

- Tenho orgulho em treinar o Maxi, Ele é muito dedicado e sempre ouve as minhas recomendações, Acredito que, com a confiança que ele está, pode manter o ritmo e defender a artilharia até o fim da competição - explicou o comandante sobre o argentino que, entre 2007 e 2009, teve passagem apagada pelo Flamengo.

Além de Maxi e Forlán, o chileno Vargas e o holandês Seedorf, com três gols cada, também estão entre os goleadores da Série A até agora.

Com a palavra:

Roberto Assaf
Colunista do LANCE!

Pedro Rocha, do São Paulo, foi o único artilheiro estrangeiro da história do Brasileiro. O uruguaio marcou 17 gols em 1972, dividindo a façanha com Dario, do Atlético-MG. Nem por isso o campeonato deixou de ter outros gringos de destaque do meio do campo para frente. Sim, pois se vocês não sabem, é de 37 o total de forasteiros que conquistaram o título, da Taça Brasil de 1959 ao Brasileiro de 2012. Dos campeões, vale lembrar os argentinos Madurga (Palmeiras 72), Tevez (Corinthians 05) e Conca (Fluminense 10), os colombianos Rincon (Corinthians 98 e 99) e Aristizabal (Cruzeiro 03), o paraguaio Romerito (Fluminense 84) e o sérvio Petkovic (Flamengo 09). Mas Maxi, Forlan, Seedorf e Vargas, que já brigam pela artilharia de 2013, todos têm chances de repetir o Pedro Rocha de 1972.