icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso e Ivo Felipe
09/11/2013
09:13

A mil dias da abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro, Arthur Zanetti sabe que está, também, a mil dias de passar por uma situação inédita: disputar uma competição de alto nível internacional no Brasil. Para que não chegue aos Jogos de 2016 sem conhecer a pressão que irá encarar, o ginasta tem "articulado" para conseguir trazer uma Copa do Mundo para o país.  - A gente está buscando ter uma Copa do Mundo no Brasil. Mas pensamos bem simples: seria bom ter. Mas, se tiver, precisa ser bem organizado, como na Europa, para a gente começar a sentir (a pressão). Olimpíada é algo bem organizado, bem certinho. Se não for organizado, não vale a pena - disse o ginasta, em entrevista exclusiva  ao L!Net.  A primeira vez que o assunto veio à tona foi logo após a conquista do título mundial, em Antuérpia, neste ano. O técnico de Zanetti, Marcos Goto, fez o apelo. Outros esportistas também já ressaltaram que este será um desafio de competir em uma Olimpíada no Rio, já que a grande maioria dos torneios internacionais ocorrem longe do país.  - Conversamos com alguns atletas para ver se seria bom trazer alguma competição, já conversamos com dirigentes... Mas não é nada certo, ainda estão avaliando. Mas como falei, se tiver, tem de ser organizado - completou Zanetti.  Campeão olímpico e mundial das argolas, Arthur Zanetti é uma das principais esperanças de bom resultado do Brasil na Olimpíada em casa. Nesta semana, ele visitou a redação do LANCE!Net.

Arthur Zanetti fala sobre conquistas e vê melhora em apoio