icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
10/07/2013
12:43

O ginasta Arthur Zanetti segue mostrando que, em se tratando das argolas, dificilmente será superado. Nesta quarta-feira, o brasileiro, campeão olímpico em Londres-2012, conquistou o bicampeonato da Universíade. No Gymnastics Centre, em Kazan, na Rússia, Zanetti foi o segundo a se apresentar, somando 15,875 pontos. O segundo colocado foi o russo Denis Ablyazin, também finalista em Londres, com 15,550 pontos. O pódio foi completado pelo ucraniano Igor Radivilov, com 15,525 pontos.

- Dessa vez foi mais difícil do que em Shenzhen, em 2011, porque agora tinha um finalista olímpico. A Rússia veio com equipe completa, assim como a China. Mas mostrei que o trabalho está sendo o certo para o Mundial da Antuérpia (BEL), no fim de setembro - disse Zanetti.

O bicampeão afirmou que é tranquilo defender título porque sempre entra pensando em fazer o seu melhor, dando o máximo de si. Ele reconheceu que tem mais cobrança desde a conquista da medalha olímpica, porém deixou claro que consegue lidar bem com isso pois tem um trabalho psicológio que o auxilia.

Na final do cavalo com alça, Péricles da Silva ficou em sétimo, com 13,575 pontos. O campeão foi o russo Nikolai Kuksenkov, com 15,050 pontos. A prata foi para o mexicano Daniel Corral Barron, com 14,975 pontos. E o bronze ficou com Oleg Stepko, com 14,850 pontos.

Na final da barra fixa, Arthur Mariano ficou em quarto lugar. Ele somou 13,150 pontos. O ouro foi para o russo Emin Garibov, com 16,025. A prata ficou com o japonês  Yusuke Tanaka, com 15,550. E o bronze foi para o japonês Ryohei Kato.

* O repórter viaja a convite da CBDU

O ginasta Arthur Zanetti segue mostrando que, em se tratando das argolas, dificilmente será superado. Nesta quarta-feira, o brasileiro, campeão olímpico em Londres-2012, conquistou o bicampeonato da Universíade. No Gymnastics Centre, em Kazan, na Rússia, Zanetti foi o segundo a se apresentar, somando 15,875 pontos. O segundo colocado foi o russo Denis Ablyazin, também finalista em Londres, com 15,550 pontos. O pódio foi completado pelo ucraniano Igor Radivilov, com 15,525 pontos.

- Dessa vez foi mais difícil do que em Shenzhen, em 2011, porque agora tinha um finalista olímpico. A Rússia veio com equipe completa, assim como a China. Mas mostrei que o trabalho está sendo o certo para o Mundial da Antuérpia (BEL), no fim de setembro - disse Zanetti.

O bicampeão afirmou que é tranquilo defender título porque sempre entra pensando em fazer o seu melhor, dando o máximo de si. Ele reconheceu que tem mais cobrança desde a conquista da medalha olímpica, porém deixou claro que consegue lidar bem com isso pois tem um trabalho psicológio que o auxilia.

Na final do cavalo com alça, Péricles da Silva ficou em sétimo, com 13,575 pontos. O campeão foi o russo Nikolai Kuksenkov, com 15,050 pontos. A prata foi para o mexicano Daniel Corral Barron, com 14,975 pontos. E o bronze ficou com Oleg Stepko, com 14,850 pontos.

Na final da barra fixa, Arthur Mariano ficou em quarto lugar. Ele somou 13,150 pontos. O ouro foi para o russo Emin Garibov, com 16,025. A prata ficou com o japonês  Yusuke Tanaka, com 15,550. E o bronze foi para o japonês Ryohei Kato.

* O repórter viaja a convite da CBDU