icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/02/2015
08:30

O atacante Alexis Sánchez é a esperança de gols do Arsenal para furar a retranca do Monaco nesta quarta-feira, no Emirates, pelo jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. O clube inglês terá pela frente a melhor defesa da competição, com um gol sofrido. O chileno balançou as redes por quatro vezes.

O técnico Arsène Wenger conta e muito com a pontaria de Sánchez. O francês conhece bem o adversário, que foi o time que o projetou para o futebol na década de 1990. E Wenger tem mais uma chance de conquistar o título mais cobiçado e entra como favorito contra o Monaco, apesar de fazer a primeira partida em casa. O treinador elogiou o sistema defensivo do time do Principado.

E MAIS
- Endiabrado, Tevez marca e Juventus vence a primeira contra o Dortmund
- Vaiado desde o início, Suárez faz dois e Barça sai na frente do Manchester City

VÍDEO
- Daniel Alves se irrita com substituição e chuta garrafa

– O Monaco é uma equipe forte fisicamente e na defesa. São disciplinados e trabalham uns para os outros e, por isso, são eficientes – disse.


Monaco tem a melhor defesa da Liga dos Campeões (Foto: Valery Hache/ AFP)

Pelo Monaco, o técnico Leonardo Jardim diz que muitas equipes queriam enfrentá-los nas oitavas. Para ele, isso não os torna mais fracos.

– Muitas equipes queriam o Monaco no sorteio, mas isso não quer dizer que vamos entrar neste jogo com menos ambição.

LEVERKUSEN ENFRENTA O ATLÉTICO DE MADRID

No outro jogo das oitavas de final da Liga dos Campeões, o Bayer Leverkusen recebe o Atlético de Madrid, na Alemanha, e terá pela frente o forte ataque colchonero, formado por Mandzukic e Griezmann. A dupla tem sido o diferencial dos espanhóis, que estão em terceiro lugar no campeonato local.

Simeone ainda tem uma dúvida para escalar o Atlético. O técnico conta com a recuperação de Arda Turán, titular absoluto.


Arda Turan ainda é dúvida no Atlético de Madrid (Foto: Gerard Julien/AFP)

 – Se o Arda Turan, tudo muda. Com ele, tenho uma ideia de como montar o time. Sem ele, é outra – disse o argentino.